Após desabamento no Rio, engenheiros querem tornar obrigatória inspeção

Comissão levou aos vereadores um projeto que torna engenheiros responsáveis por notificações

Clarissa Thomé, O Estado de S.Paulo

15 Fevereiro 2012 | 21h10

RIO - A comissão criada pelo Clube de Engenharia para avaliar as causas do desabamento dos três prédios da Cinelândia, no centro do Rio, apresentou uma proposta de lei à Câmara dos Vereadores que estabelece a auto inspeção nos prédios - os condomínios terão de contratar empresa de engenharia para obter a Certificação Técnica de Inspeção Predial.

Se a lei for aprovada, o prédio será avaliado em três categorias. Ele pode ser considerado "sem manifestação de patologia" (não oferece risco), sujeito a reparos ou sem condições de uso. Caberá ao engenheiro responsável notificar a prefeitura e Defesa Civil sobre os problemas. "Queremos que tragédias como essas não voltem a ocorrer. Que riscos sejam identificados antes que o desastre ocorra", afirmou o vice-presidente do clube, Manoel Lapa.

A instituição prepara ainda outras duas propostas de lei - uma que cria um banco virtual de plantas estruturais, hidráulicas, de energia elétrica e arquitetônicas, a ser administrado pela prefeitura; e outra que estabelece a obrigatoriedade do licenciamento de obra interna em caso de troca de paredes ou risco de afetar a estrutura (as reformas no nono andar do Edifício Liberdade não precisavam ser licenciadas, porque não afetavam a fachada).

"Não temos posição definitiva que nos permita elaborar um laudo sobre as causas do acidente porque não conseguimos as plantas estruturais. A hipótese mais provável é que algum pilar tenha sido afetado. A Secretaria de Urbanismo aprova a planta arquitetônica, a companhia de abastecimento de água aprova a planta hidráulica, a companhia de luz, a planta de energia. Mas há um limbo no que diz respeito à planta estrutural", afirmou Lapa, ao defender a criação do banco virtual de plantas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.