Após devolver dinheiro, gari ganha R$ 12 mil por boa ação

O gari José Sebastião Breta, de 44 anos, morador de Cariacica (ES), recebeu nesta quinta-feira R$ 12.366,00 de doadores de Campinas como recompensa. Em novembro passado, o gari encontrou essa mesma quantia no lixo e devolveu o dinheiro ao dono. Breta recebeu a quantia das mãos do padre Luiz Roberto Teixeira Di Lascio, da Igreja São Marcos, o Evangelista, em Campinas. Breta disse que vai cuidar de um problema de saúde e comprar um terreno ao lado de sua casa.Di Lascio tomou conhecimento do caso pela mídia, no fim do ano passado. Durante um jantar, na véspera de Natal, Breta virou assunto e o padre, idealizador do movimento Palmas para a Paz, escreveu um artigo sobre o caso em um jornal campineiro. ´Foi quando começou a campanha. Em dez dias tínhamos arrecadado os R$ 12.366,00´, disse o padre.Quando era criança e morava no Bexiga, em São Paulo, Di Lascio encontrou um pacote com dinheiro ao voltar da padaria. ´Lembro-me até hoje o quanto agradeceu a mulher, dona do dinheiro. Ela me encheu de presentes´, afirmou. ´Gestos como o do Sebastião precisam ser reconhecidos. Isso serve de exemplo para as pessoas.´Desde segunda-feira, o padre está em Cariacica, cidade com 356 mil habitantes, mas um dos municípios com menor renda per capita do Estado. ´O ato do seu Sebastião é maior ainda por ter ocorrido aqui em Cariacica, onde há muito problema social´, afirmou o prefeito Helder Salomão (PT).O gari, que ganha R$ 370 por mês, estava no trabalho quando pegou um saco de lixo e encontrou um envelope, em 21 de novembro de 2006. ´A embalagem me chamou a atenção, abri e achei que tivesse lá uns R$ 500. Levei para casa para ver o que eu ia fazer´, afirmou Breta. Quando contou o dinheiro, ficou surpreso. ´Mas nada que eu comprasse com aquilo ali ia ser meu, então, eu tinha de devolver´, contou.No envelope, o gari encontrou faturas que indicavam o possível dono do dinheiro, o proprietário de uma casa lotérica da cidade. O empresário Aílton Ronconi já tinha dado o dinheiro como perdido quando Breta e seu chefe o chamaram. A casa lotérica ficava próxima ao barracão em que os garis se concentram antes de sair para o trabalho.Ronconi tinha sido vítima de uma tentativa de assalto. Jogou o envelope no lixo para que os ladrões não levassem o dinheiro. Quando conseguiu voltar ao local, Breta já havia levado o saco de lixo. "Ele ficou tão feliz quando devolvi que deu R$ 1 mil pra mim e R$ 500 para meu encarregado", disse Breta.ConsciênciaO gari conta que ficou sete dias com o dinheiro em casa. ´Até que um dia levantei e falei pra minha mulher: ´Rosinha, é hoje. Vou devolver.´ Quanto mais eu olhava para o dinheiro, mais doía a minha consciência. Fiz isso e fiquei leve.´ Com o dinheiro que ganhou do padre Di Lascio, Breta vai cuidar de uma lesão na coluna e comprar um terreno ao lado de sua casa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.