Após dois dias isolada, Cunha-SP tem acesso liberado

Na zona rural do município, no entanto, pelo menos 80% dos bairros ainda estão isolados

JOÃO CARLOS DE FARIA, Agencia Estado

03 Janeiro 2010 | 18h08

Depois de dois dias isolada, a cidade de Cunha, no interior de São Paulo, teve o acesso liberado neste domingo, 3, quando baixaram as águas do rio Jacuí, que chegou a ficar cinco metros acima do seu nível normal. Na zona rural do município, no entanto, pelo menos 80% dos bairros ainda estão isolados. O distrito de Campos Novos de Cunha, que também estava isolado da cidade, teve o acesso liberado neste domingo. "Temos 300 a 400 pontes que foram arrancadas ou danificadas e de 600 a mil barreiras obstruindo estradas. Em alguns locais, nem a cavalo há condições de se deslocar", disse o prefeito da cidade, Osmar Felipe Júnior (PSDB).

O prefeito, que trabalha com uma equipe de 80 homens, a maioria da própria prefeitura, pretende pedir socorro ao governador de São Paulo, José Serra, na segunda-feira. "Vamos precisar muito dos governos estadual e federal, pois sozinhos levaríamos mais de dois anos para normalizar a situação", afirmou. Até a próxima quarta-feira, a prefeitura já pretende ter um diagnóstico real sobre a situação.

Transtornos

 

A Defesa Civil local ainda não sabe precisar quantas famílias estão isoladas ou desabrigadas na área rural. Cerca de 90% da produção de leite do município - entre 50 e 60 mil litros por dia - está sendo perdida por falta de acesso dos caminhões que fazem a coleta e levam às cooperativas e laticínios da região. "Estamos aguardando um helicóptero da Defesa Civil do Estado para chegar a essas pessoas", afirmou o coordenador da Defesa Civil municipal, Cristóvão Alves da Silva. Há casos de várias famílias alojadas numa mesma casa, onde já estaria faltando comida.

Mais conteúdo sobre:
Chuvas SP Cunha

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.