Após enchente, São Luís do Paraitinga quer faturar com carnaval

Depois do susto provocado pelas águas que atingiram 150 casas na região central da cidade, moradores de São Luís do Paraitinga, no Vale do Paraíba, se preparam para receber cerca de cem mil turistas no carnaval. A enchente atingiu seu ponto máximo na sexta-feira, com as águas chegando a dois metros acima do leito do rio Paraitinga. A situação já está normalizada. "A expectativa continua a mesma e a enchente já é uma questão resolvida", afirmou o prefeito Danilo Toledo, que mesmo assim encaminhou uma série de pedidos ao governo do Estado, para ajudar na recuperação da cidade. De acordo com proprietários de pousadas - são dez, todas com as reservas para o carnaval esgotadas desde o ano passado - nenhuma reserva foi cancelada por causa da enchente. O mesmo ocorre com relação ao aluguel de casas, que neste ano está esquentando os negócios imobiliários locais, com aumento de mais de 50% na procura de imóveis, segundo as três imobiliárias locais. O preço do aluguel também ficou inflacionado em pelo menos 40% e está variando de R$ 300 a R$ 3,5 mil pelo período de quatro dias. Com isso, muitos moradores estão saindo de suas casas para faturar um dinheiro extra. Outras pessoas estão alugando apenas as garagens, aproveitando que o estacionamento na cidade será cobrado nesse ano. De acordo com uma lei aprovada no final de 2005, carros pequenos pagarão R$ 30; vans, R$ 200 e ônibus, R$ 400. A expectativa da prefeitura é usar o dinheiro arrecadado para pagar parte da despesa de R$ 200 mil, gastos na organização da festa. A prefeitura distribuiu folhetos aos moradores, para que eles possam esclarecer dúvidas dos turistas. De acordo com o diretor de Cultura, Galvão Frade, a idéia é conscientizar a população para facilitar as informações aos turistas. Também foram instaladas seis câmeras de vigilância no centro da cidade, sendo duas na praça Osvaldo Cruz e quatro nas demais ruas onde haverá a maior concentração de público. "Queremos garantir a segurança de todos que nos visitarem", afirmou o prefeito.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.