Reprodução| Facebook
Reprodução| Facebook

Após EUA e Reino Unido, 'palhaços sinistros' são vistos em cidades brasileiras

Supostos flagrantes tomam conta das redes sociais; devido às aparições, rede de fast food diminuirá exibição de mascote

Rafael Pezzo, O Estado de S.Paulo

11 Outubro 2016 | 13h21
Atualizado 11 Outubro 2016 | 15h17

Depois de aparições de palhaços nos Estados Unidos e no Reino Unido, circulam nas redes sociais fotos e vídeos de supostos flagrantes de pessoas fantasiadas em algumas cidades do Brasil e da Austrália. Enquanto alguns internautas se espantam, outros mais céticos tiram sarro e duvidam da veracidade das fotos. As imagens mostrariam flagrantes nas ruas de São Paulo, Suzano, Poá, Mogi das Cruzes e Arujá, além do Rio de Janeiro e de Goiânia.

"Por volta de 01:37 da madrugada eu decidi botar o carro na garagem e me deparei com essa cena no Jardim Primavera, bairro do Bom Retiro. Cuidado, é real!", escreveu um internauta em vídeo sobre um suposto palhaço andando pelas ruas de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense.

A página Suzano Hoje publicou na noite desta segunda-feira, 11, que já recebia "algumas mensagens de pessoas mandando fotos de palhaços, afirmando que foram vistos aqui na região". "Será que ninguém percebe que é montagem?", rebateu um usuário em um comentário no perfil. 

Procurada pela reportagem do Estado por possíveis denúncias sobre esses casos, a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo afirmou que não foi notificada sobre nenhum incidente.  

McDonald's. O escritório norte-americano da rede de fast food McDonald's informou nesta terça-feira que diminuirá a exibição do seu mascote Ronald McDonald em função do surto dos casos de palhaços aterrorizantes recentemente. Em nota, empresa se diz "atenta sobre a participação da personagem em eventos da comunidade devido ao clima sobre a aparição de palhaços". 

Austrália. Motivada por publicações em redes sociais sobre palhaços em três Estados australianos, a polícia da região do sudeste de Sydney soltou um comunicado alertando os moradores sobre possíveis aparições na última semana. No domingo, 9, a polícia da Austrália Ocidental, maior Estado do país, prendeu uma pessoa de 19 anos acusado de assustar moradores com uma fantasia. 

"Há a possibilidade de retaliação ou as pessoas poderiam ficar gravemente feridas ou morrerem na tentativa de fuga. Não sabemos também se a pessoa possui alguma condição física ou psicológica que pode desencadear um efeito desastroso. Não há absolutamente nada de engraçado em assustar as pessoas e usar o medo para fazer isso", respondeu Tara Norton, inspetora da polícia do subúrbio de Campbelltown ao jornal regional Mcarthur Chronicle

EUA e Inglaterra. O primeiro caso ocorreu em Greenville, na Carolina do Sul, em agosto. Na ocasião, os fantasiados estariam convidando crianças para bosques da cidade culminando até em investigação policial. Desde então, mais de 20 Estados norte-americanos já registraram aparições de palhaços, entre denúncias sérias e brincadeiras. Em 3 de setembro, o Merrimack College, escola em Massachusetts, a 48 quilômetros de Boston, foi fechada por cum trote de que um palhaço armado rondava o local. Além deste, outros três colégios tiveram as aulas suspensas por supostos palhaços. 

Em Nova York, um jovem de 16 anos foi perseguido por um palhaço com uma faca de cozinha na saída de uma estação de metrô, na últim quarta-feira, 5. Segundo a polícia local, antes de correr atrás do garoto, o personagem impedia que as pessoas deixassem o vagão nas paradas. 

Na Inglaterra, autoridades policiais de diversas regiões também soltaram comunicados de que prenderão pessoas que forem flagradas assustando outras com máscaras de palhaço. Nessa linha, duas jovens foram detidas em Stanford-le-Hope, no condado de Essex, sudeste inglês, acusadas de aterrorizarem moradores locais. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.