Após fim de semana com atrasos, aeroportos operam normalmente

Atrasos e cancelamentos estão dentro da normalidade, afirma Infraero; movimento é intenso

Priscila Trindade - Central de Notícias,

29 Novembro 2010 | 09h23

SÃO PAULO - Os principais aeroportos de São Paulo e do Rio de Janeiro registram atrasos e cancelamentos dentro da normalidade na manhã desta segunda-feira, 29, segundo informou a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero).

 

No final de semana, passageiros da TAM enfrentaram problemas para embarcar. Em nota, a empresa atribuiu os transtornos às chuvas que atingiram a Região Sudeste entre a noite de quinta-feira e a madrugada de sexta-feira. O mau tempo teria prejudicado a malha aérea e a escala da tripulação.

 

Até as 8 horas de hoje, das 32 partidas previstas no Aeroporto de Congonhas, 4 (12.5%) atrasaram e 3 (9.4%) foram cancelados. No Aeroporto de Guarulhos, na Grande São Paulo, dos 37 voos programados, 5 (13.5%) registraram atrasos e um (2.7%) foi cancelado. No Galeão, no Rio de Janeiro, 3 (11.1%) das 27 partidas atrasaram. Nenhum voo havia sido cancelado até as 8 horas. Nos três terminais, a Infraero afirmou que o movimento é intenso, mas disse que os atrasos e cancelamentos registrados nos aeroportos estão dentro da normalidade.

 

No Aeroporto Santos Dumont, dos 26 voos nacionais, 2 (7.7%) tiveram atrasos e 4 (15.4%) foram cancelados. Das 8 partidas programadas da TAM no local, cinco foram canceladas e duas atrasaram até as 8h17. De acordo com a Infraero, os voos da TAM estão sendo regularizados com o tempo.

 

No mesmo horário, dos 181 voos nacionais da TAM, 33 (18.2%) registraram atrasos superiores a 30 minutos e 19 (10.5%) foram cancelados. O índice estava acima da outra companhia aérea Gol, que das 179 partidas, tinha 14 (7.8%) atrasos e 6 (3.4%) cancelamentos.

Mais conteúdo sobre:
Anac Infraero aeroportos Rio São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.