Após forte estalo, prédio é interditado no Rio

Inaugurado em dezembro sem o habite-se da prefeitura, um prédio de seis pavimentos e 32 apartamentos no Recreio dos Bandeirantes, na zona oeste do Rio, foi desocupado ontem após interdição pela Defesa Civil Municipal. Moradores contaram ter ouvido forte barulho na madrugada e deixaram o prédio. Eles puderam subir para retirar pertences porque, segundo a prefeitura, não havia "risco iminente" de desabamento.Duas casas construídas nos fundos do prédio também foram interditadas e serão demolidas, já que no caso delas foi constatado o risco "iminente". Nenhuma das construções tinha registro, segundo a Defesa Civil. Um depósito de gás considerado irregular, ao lado do prédio, também foi fechado. Outra vistoria "mais minuciosa", feita por engenheiros da Secretaria Municipal de Urbanismo, vai confirmar se o prédio corre risco de desabamento, de acordo com Isabel Cristina Walcy, gerente da Defesa Civil. A cantora Ana Lúcia Gomes da Silva, de 24 anos, diz que sua mãe foi a primeira moradora a se mudar para o edifício, há um ano e três meses, quando ele ainda estava em obras. Segundo ela, após o barulho ouvido na madrugada de ontem, surgiram rachaduras no imóvel. "O apartamento custava R$ 100 mil e já pagamos R$ 56 mil. Vou tirar minha mãe daqui e depois entrar na Justiça", disse Ana Lúcia, ao lado de móveis, um colchão e uma Bíblia, na calçada na frente do prédio. Ela disse saber que o prédio não tinha registro nem habite-se. "Não é só aqui, todo o bairro é assim."Segundo relato de moradores, o responsável pelo prédio construiu outros imóveis na rua - a mesma onde a prefeitura demoliu um prédio de quatro andares com 18 apartamentos e 14 estabelecimentos comerciais nos primeiros dias do ano, porque ele ocupava irregularmente um terreno público.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.