Após incêndio, Liesa e escolas do Rio se reúnem para discutir carnaval

Deve ficar definido que não haverá rebaixamento; Grande Rio já adianta que vai desfilar

Estadão.com.br

07 de fevereiro de 2011 | 13h29

RIO - A Liga Independente das Escolas de Samba do Rio de Janeiro (Liesa) terá uma reunião com líderes das 12 agremiações cariocas para discutir os rumos do carnaval deste ano e a ajuda às escolas afetadas pelo incêndio na Cidade do Samba, disse o diretor de carnaval da Liesa, Elmo José dos Santos. No encontro, marcado para às 19h, deve ser definido que não haverá rebaixamento nos desfiles. 

 

Veja também:

linkIncêndio causa desespero nas escolas

linkPaes sugere que não haja rebaixamento

linkIntegrantes da Portela são detidos

 

A Grande Rio, a mais afetada pelas chamas, já adiantou que vai desfilar, apesar da destruição provocada pelo incêndio. A afirmação foi feita pelo presidente administrativo da agremiação, Helinho de Oliveira. Segundo ele, a destruição no barracão da escola foi quase total. Carros alegóricos e fantasias, que seriam entregues para os integrantes da escola daqui a duas semanas, foram consumidos pelo fogo. O próprio prédio do barracão foi muito danificado. Parte das fachadas frontal e lateral desabou.

 

Apenas as fantasias da bateria foram poupadas porque estavam sendo confeccionadas em um barracão separado, em Duque de Caxias, cidade-sede da escola de samba. "O samba não foi queimado. A vontade da Grande Rio de ser campeã também não foi. Você, de Caxias, segure as lágrimas ou chore para extravasar, mas vamos desfilar. Vamos desfilar com roupa ou sem roupa. A minha intenção é fazer alguma fantasia para a comunidade, nem que seja uma pluma, nem que seja um biquíni com paetê", disse.

 

O presidente da Grande Rio também se mostrou preocupado com o fato de as três escolas atingidas pelo incêndio desfilarem no mesmo dia (segunda-feira de carnaval). Por isso, segundo ele, o desfile deste dia, que tem seis escolas programadas, deverá ficar abaixo da expectativa.

 

 

(Com Agência Brasil)

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.