Após mais de 12 horas, termina seqüestro em Salvador

Grávida, que está bem, era mantida refém pelo namorado dentro de casa desde o início da tarde de ontem

Tiago Décimo, O Estado de S.Paulo

25 Outubro 2008 | 11h02

Terminou às 2h30 deste sábado, 25, o seqüestro de Driele Pitanga Santos, de 18 anos, que era sendo mantida refém pelo namorado, o mecânico Genivaldo Pereira de Jesus Junior, de 20 anos, desde o início da tarde de sexta-feira, na residência do casal, no bairro periférico de Pau da Lima, em Salvador (BA). Foram mais de 12 horas de impasse.   De acordo com a polícia, Genivaldo libertou a refém e não ofereceu resistência para a ação policial. Ele foi encaminhado para a 10.ª Delegacia, onde está detido, por cárcere privado. Driele, grávida de oito meses, foi encaminhada para uma maternidade no bairro. Seu estado de saúde é bom.   O casal morava junto há cerca de um ano em um quarto do imóvel. O seqüestrador estaria ameaçando Driele por ela ter proposto o fim da relação, depois de uma longa discussão na manhã de hoje. O motivo do desentendimento teria sido a intenção da jovem de levar a criança para ser criada na casa dos pais dela, já que o namorado não tem renda no momento - está desempregado há três meses. Indignado, Genivaldo impedisse que ela saísse de casa, trancou a porta e fechou a janela.   A PM chegou ao local por volta das 14 horas, chamada por vizinhos do casal, que ouviram agressões e gritos vindos do quarto em que o casal mora. Mais de 12 horas de negociações depois, Driele foi liberada. É a segunda vez que o agressor é preso: quando tinha 17 anos, ele foi detido em flagrante por assalto a mão armada, de acordo com informações da polícia.

Mais conteúdo sobre:
seqüestro refém Salvador polícia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.