Após mortes, Defesa Civil monitora áreas de risco em Pernambuco

Oito pessoas morreram por causa das chuvas que atingem o Estado desde sexta-feira

Priscila Trindade, estadão.com.br

18 Julho 2011 | 12h12

SÃO PAULO - A Defesa Civil de Pernambuco monitora as áreas de risco na região metropolitana de Recife, na manhã desta segunda-feira, 18. Moradores são retirados desses locais. Até o momento, foram confirmadas oito mortes em razão das chuvas que atingem o Estado desde sexta-feira.

 

Segundo a Defesa Civil, 449 famílias estão desabrigadas e 70 estão desalojadas em casas de amigos e parentes. Nenhuma cidade decretou situação de emergência.

 

Em Olinda, no bairro de Aguazinha, um deslizamento matou duas crianças, identificadas como Vítor e Carolina. Um outro deslizamento próximo ao quilômetro 3 da Estrada de Aldeia, município metropolitano de Camaragibe, soterrou uma casa na noite de sábado, 16. Morreram Josefa da Conceição, 52 anos, seus netos Letícia (7) e Paulo Sérgio (15) e sua nora Elisabete Barbosa, de 33 anos.

 

Um outro deslizamento de barreira, ocorrido na manhã de domingo, 17, no bairro do Vasco da Gama, zona norte do Recife, matou Rodrigo Firmino de Almeida, de 23 anos. Em Olinda, Gabriela Santos, de 13 anos, caiu em um bueiro aberto, em uma rua alagada, no bairro de Bairro Novo. O corpo dela foi encontrado na manhã de domingo.

 

As chuvas também levaram à interdição da BR-101, na altura do km 6, no município de Goiana, de acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF). As faixas foram desbloqueadas por volta das 10h desta segunda-feira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.