Raphael Alves/AFP
Raphael Alves/AFP

Após novas mortes, 20 detentos de Manaus são transferidos para o interior

Presos deixaram a Cadeia Pública Des. Raimundo Vidal Pessoa e foram levados a uma unidade em Itacoatiara; neste domingo, rebelião terminou com 4 mortes

Márcia Oliveira, Especial para o Estado

09 Janeiro 2017 | 10h15
Atualizado 10 Janeiro 2017 | 12h48

MANAUS - Ao menos 20 detentos foram transferidos da Cadeia Pública Desembargador Raimundo Vidal Pessoa, no centro de Manaus, para uma unidade prisional do município de Itacoatiara, a 176 km da capital amazonense, na manhã desta segunda-feira, 9.  Em nota, o Tribunal de Justiça do Amazonas (TJ-AM) informou que a Justiça de Itacoatiara determinou o retorno para assegurar sua integridade física.

Na decisão, comunicada à Secretaria de Administração Penitenciária do Estado do Amazonas (Seap) ainda na noite de segunda-feira, o juiz destacou que os presos transferidos continuavam sendo ameaçados de morte, desta vez pelos detentos de Itacoatiara. Segundo o TJ-AM, a medida foi discutida com os órgãos de Segurança Pública e com o juiz da comarca de Manaus, que havia  inicialmente autorizado a transferência dos presos.

Dentro da van em que foram transferidos de Itacoatiara para Manaus, os presos transferidos gritavam e pediam para que não fossem devolvidos à unidade, pois temem ser mortos. Na frente da cadeia, familiares fazem correntes de oração e clamam por notícias e providencias. O clima no local é tenso. 

Tumulto. Em menos de 24 horas, a cadeia pública registrou dois grandes tumultos: a primeira resultou em quatro mortes - uma por sufocamento e as outras três por decapitação; na  segunda, segundo a Seaop, não houve outro confronto, mas sete presos foram hospitalizados

Em nota, o Comitê de Gerenciamento de Crise informou que não houve nova alteração na Cadeia Pública Raimundo Vidal Pessoa e que as ambulâncias do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) estiveram no local para levar presos, pois, após a contagem final, feita na tarde de domingo, foi percebida a necessidade de atendimento médico.

 

Mais conteúdo sobre:
MANAUS Amaral Batalhão de Choque Samu

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.