Após operação, PM exonera coronel de batalhão e capitão de UPP no Rio

Inquérito Policial Militar foi aberto para apurar o envolvimento de policiais com contraventores

O Estado de S.Paulo,

30 Agosto 2012 | 03h29

SÃO PAULO - O Comando da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro exonerou, após reunião realizada no Quartel General da corporação na noite desta quarta-feira, 29, o comandante do Batalhão da Praça da Harmonia (centro do Rio), coronel Amaury Simões, e o comandante da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do Morro da Providência, capitão Glauco Schorcht. Para a UPP da Providência foi designado o capitão Felipe Lopes Magalhães, que comandava a UPP Babilônia e Chapéu Mangueira desde junho de 2009.

 

Foi aberto um Inquérito Policial Militar para apurar o envolvimento e participação de policiais com contraventores presos nesta quarta-feira durante a Operação Catedral, ação conjunta que foi desencadeada durante a manhã após sete meses de investigações realizadas em conjunto pela Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas e Inquéritos Especiais (DRACO), pela Primeira Central de Inquéritos do Ministério Público e pelas corregedorias das polícias Civil e Militar e Corregedoria Geral Unificada.

 

Já a Polícia Civil afastou o titular da Delegacia da Central do Brasil, Henrique Pessoa. O chefe do Setor de Investigações da delegacia, Weber Santos de Oliveira, foi preso durante a mesma operação. Ele é acusado de receber propina no esquema montado pelos contraventores que exploram o jogo do bicho no centro do Rio e em São Cristóvão, na zona norte da cidade.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.