Reprodução/Vídeo
Reprodução/Vídeo

Após Petrópolis, fortes chuvas deixam ao menos dois mortos no Espírito Santo

Alegre e Guaçuí estão entre os dezessete municípios mais afetados; pelo menos 9 cidades apresentam risco alto de deslizamentos

Renata Okumura, O Estado de S.Paulo

17 de fevereiro de 2022 | 11h03

SÃO PAULO - Ao menos duas pessoas morreram no Espírito Santo, por causa das fortes chuvas que atingem diversas cidades desde quarta-feira, 16, segundo boletim divulgado pela Defesa Civil na manhã desta quinta-feira, 17. Os municípios de Alegre e Guaçuí estão entre os dezessete municípios mais atingidos. Até o momento, 191 pessoas estão desalojadas e 42 estão desabrigadas. Há registro de uma pessoa ferida.

Em Alegre, uma pessoa foi soterrada. Após desabamento no local, ela ficou presa entre o muro que cedeu e a parede de sua residência. Não resistiu aos ferimentos.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, a outra vítima é da cidade de Nova Venécia, no sul do estado. Um homem morreu depois de ser levado pela enxurrada ao tentar retirar o carro de área alagada. Nesta semana, na Região Serrana do Rio, Petrópolis teve mais de cem mortes por causa de deslizamentos e enxurradas causadas pelo temporal, o maior em 90 anos.

Em menos de uma hora, diversos estabelecimentos, casas e ruas ficaram alagados nas cidades capixabas. Há pelo menos 23 alertas vigentes no Estado. Até o momento, 8 cidades apresentam alto risco de deslizamento (Linhares, Colatina, Baixo Guandu, Bom Jesus do Norte, Rio Bananal, São Mateus, Guaçuí e Alegre), segundo boletim da Defesa Civil.

"Durante as chuvas, assim que o prefeito de Alegre (Nemrod Emerick) fez o contato conosco, nossa equipe já se deslocou para cá, - equipes do Corpo de Bombeiros e da Defesa Civil -, dando apoio, atendimento emergencial e retirando as pessoas de áreas de riscos", afirmou o governador do Espírito Santos, Renato Casagrande (PSB), durante entrevista coletiva, na manhã desta quinta-feira, na cidade de Alegre, a mais afetada pelos temporais.

O governador disse que disponibilizará recursos ao município e dará continuidade ao mapeamento de áreas de risco na região. "Aquilo que é necessário em uma situação emergencial. Sejam alimentos, colchões, materiais de limpeza, tudo que é preciso fazer para que a família tenha uma condição adequada. Outra ajuda é com equipamentos que ajudem a liberar estradas e limpar ruas. Também vamos continuar em Alegre, uma região muito íngreme, identificando áreas de risco. Temos que identificar os locais onde há riscos de deslizamentos. Apoio técnico ao município", disse Casagrande.

Segundo previsão do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), chuvas intensas devem persistir na parte da região sul (Caparaó), região serrana, central e noroeste do Espírito Santo. Há risco potencial de pancadas de chuva também para o litoral capixaba e parte da região norte e Grande Vitória. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.