Após prisão, sindicalista vai parar no Incor

O presidente do Sindicato dos Policiais Rodoviários Federais de São Paulo, Luiz Antônio Pereira da Silva, de 58 anos, teve uma crise de hipertensão e precisou ser levado às pressas para o Instituto do Coração do Hospital das Clínicas (Incor) ao ser preso por policiais federais na manhã de ontem. Aposentado há 8 anos, Silva trabalhou por 36 anos na Polícia Rodoviária Federal em São Paulo."Estamos todos surpresos. Ninguém nos explicou nada dessa prisão", disse o vice-presidente do sindicato, Antonio Boccaro Júnior. "Conheço todos os policiais presos e, até que provem o contrário, são todos de boa índole." A Corregedoria da Polícia Rodoviária Federal em São Paulo deve abrir nos próximos dias processo administrativo para apurar a conduta dos policiais citados na Operação Veredas. O vice-presidente do sindicato disse desconhecer o motivo das prisões. "Operações em estradas são nossa rotina. Até onde eu sei o trabalho foi bem feito."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.