Após queda nos homicídios, governo do Rio dobra bonificação de policiais

Benefício será repassado para cerca de 10 mil policiais; gratificação mais alta passa de R$ 1,5 mil para R$ 3 mil aos policiais das Regiões Integradas de Segurança Pública (RISPs)

Solange Spigliatti, Central de Notícias

01 de fevereiro de 2011 | 17h25

SÃO PAULO - O governador do Rio, Sérgio Cabral, anunciou nesta terça-feira, 1, o aumento na bonificação de cerca de 10 mil policiais que cumpriram metas de combate ao crime no segundo semestre do ano passado. O anúncio foi feito durante a cerimônia de inauguração da 31º Delegacia de Polícia, em Ricardo Albuquerque.

 

Veja também:

linkRio registra menor taxa de homicídios desde 1991, diz secretaria

 

Com a medida, todos os policiais que alcançaram as metas e receberiam R$ 500 vão ganhar R$ 1.000. A gratificação mais alta passa de R$ 1,5 mil para R$ 3 mil aos policiais das Regiões Integradas de Segurança Pública (RISPs) que superaram as metas e conseguirem a maior redução dos índices. Os valores passam de R$ 750 para R$ 1.500 aos policiais das RISPs onde houver a terceira maior diminuição de crimes.

 

Segundo o governo, o aumento da bonificação foi feito devido aos excelentes resultados obtidos e para homenagear o esforço dos policiais. Segundo a Secretaria de Segurança, são cerca de 10 mil policiais que foram beneficiados no segundo semestre do ano passado e que irão receber novamente o bônus. O aumento já estava previsto para este ano, mas o governador resolveu retroagir o pagamento.

 

"Quero anunciar, publicamente, que vamos dobrar a bonificação destes policiais, porque eles fizeram por merecer. São policiais civis e militares que dão a vida, o suor, para permitir que o nosso povo viva com tranquilidade. Temos muito chão pela frente. Muitos desafios a enfrentar. Infelizmente foram mais de 30 anos de abandono, milícias, tráfico de drogas, mas vamos continuar enfrentando com coragem, com destemor e com amor pelo Rio de Janeiro" afirmou Cabral.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.