Reprodução
Reprodução

Após reação furiosa, governo tira do Facebook campanha contra abuso de álcool

Post que mostrava jovens rindo porque a amiga teria bebido demais e não se lembrava do que havia feito foi acusado de machista

Lisandra Paraguassu, O Estado de S. Paulo

05 de fevereiro de 2015 | 19h16

BRASÍLIA - O Ministério da Justiça foi obrigado a tirar da sua página no Facebook um peça da campanha "Bebeu, Perdeu", que mira o abuso do álcool por adolescentes, depois da reação furiosa dos internautas. O post mostra duas adolescentes rindo de uma terceira, que aparece triste enquanto olha o celular, enquanto o texto diz: "Bebeu demais e esqueceu o que fez? Seus amigos vão te lembrar por muito tempo". A ideia de passar mensagens bem-humoradas para que os jovens não bebam foi vista pelos internautas como machista e indutora de bullying e assédio sexual. Em poucas horas, já havia recebido centenas de críticas, até que o ministério decidiu tirá-la do ar, substituindo por uma explicação. 

"A campanha ?#?BebeuPerdeu é muito mais do que isso. Nós nos equivocamos com a peça. Ela tem o objetivo de conscientizar jovens até 24 anos sobre os malefícios do álcool. Atuamos em políticas públicas em conjunto com a Secretaria de Políticas para a Mulher contra a violência doméstica, o feminicídio e outras formas de violência contra a mulher. Pedimos desculpas pelo mal entendido e ao mesmo tempo contamos com a colaboração de todos na campanha. Abraços", diz o texto. 


Ainda assim, os internautas não perdoaram. A campanha toda - que é composta de cinco vídeos, cartazes em aeroportos e rodoviárias, além de um post no Facebook por dia até o 22 deste mês - passou a ser criticada como moralista e ineficaz. Ainda assim, o ministério afirma que será mantida. A assessoria de imprensa, no entanto, informou ao Estado, que todas as demais peças estão sendo revisadas para que se tenha certeza que não causarão reações negativas.

O post criticado pelos internautas usa uma foto de um site das chamadas stock photos - ensaios feitos para venda comercial -, o shutterstock, utilizado comumente por empresas de publicidade. O título do ensaio é "teenage girl being bullied by text message in mobile phone" - em português, "adolescente sofrendo bullying por mensagem de texto de celular" -, o que ajuda a explicar a reação negativa à peça. 

Os demais vídeos e cartazes, que devem ser mantidos pelo ministério, mostram jovens, homens e mulheres, que deixaram de se divertir por estarem bêbados demais ou por estarem de ressaca no dia seguinte. Um deles mostra um rapaz sentado no chão e diz "Algumas Cervejas. Horas jogado no chão. Vários Whatsapps para a ex". Em um dos vídeos, uma jovem acorda de ressaca e vê fotos dos amigos se divertindo na noite anterior e se dá conta que perdeu o paquera para outra menina. Em outro, um rapaz bebe demais, não consegue beijar a menina que queria e logo depois perde o lugar para outro. 


O ministério confirma que a campanha será mantida não apenas para o carnaval, mas deverá ser usada em outros momentos, como férias escolares, réveillon e o Octoberfest. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.