Após rebelião em presídio, bandidos incendeiam ônibus no Maranhão

Segundo a PM, novas ações dos bandos rivais sendo esperadas para hoje e para o fim de semana

Ernesto Batista, Especial para o Estado

10 Outubro 2013 | 10h43

SÃO LUÍS - A briga entre facções rivais - do Bonde dos 40 e o Primeiro Comando do Maranhão (PCM) - dentro do Complexo Penitenciário de Pedrinhas, que deixou 9 mortos e 20 feridos, extrapolou os muros da instituição prisional. Na noite de quarta-feira, 9, sete ônibus foram queimados e dois restaurantes foram assaltados por membros dos dois bandos em São Luís.

A ordem para as ações partiu de dentro do presídio ainda quando os policiais militares e agentes penitenciários maranhenses tentavam controlar o tumulto que teve início após a descoberta de um túnel. A Secretaria de Estado de Segurança Pública confirmou que dois dos sete ônibus incendiados foram completamente destruídos pelas chamas.

Segundo fontes da Polícia Militar, novas ações dos bandidos dos dois grupos envolvidos na disputa em Pedrinha estão sendo esperadas para hoje e para o fim de semana. 

O clima está tenso na capital, o policiamento foi reforçado e a situação em Pedrinhas ainda é monitorada para evitar mais violência.

Mais conteúdo sobre:
Rebelião Maranhão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.