Após resultado das análises, Ministério detecta mais fraudes no leite do RS

Fiscalização federal detectou a presença de formol em duas de 30 amostras de leite cru coletadas

Elder Ogliari, O Estado de S. Paulo

10 Maio 2013 | 23h56

PORTO ALEGRE - A fiscalização federal detectou a presença de formol em duas de 30 amostras de leite cru coletadas durante a Operação Leite Compen$ado, na quarta-feira, dia8, e de antibiótico em uma de cinco partilhas de leite em pó recolhidas para análise durante fiscalização de rotina. O resultado das análises que indicaram a adulteração com água e uréia, produto que contém formol, foi divulgado pelo Ministério da Agricultura, em Brasília, nesta sexta-feira (10), quase ao mesmo tempo em que a superintendência regional da pasta revelava a presença do medicamento no leite em pó, em Porto Alegre.

Os novos dados se somam aos descobertos durante a Operação Leite Compen$sado, do Ministério Público Estadual, que apontou que adulterações do leite feitas por transportadores acabaram chegando ao produto vendido ao consumidor e fez três indústrias retirarem do mercado oito lotes que haviam enviado ao varejo e suspendeu a comercialização de outras quatro marcas que tinham produtos envasados em uma só indústria.

As investigações indicaram que alguns transportadores que compram leite dos produtores para revendê-lo à indústria adicionavam água à bebida e, para driblar as análises feitas pelas empresas, acrescentavam uréia, que, por sua vez, contém formol, substância considerada cancerígena. Com isso, conseguiam aumentar o volume que entregavam para beneficiamento em até 10%. O superintendente regional do Ministério da Agricultura, Francisco Signor, disse que a presença de antibióticos em amostras de leite é proibida e não era detectada desde o início dos anos 1990 no Estado.

Não informou, no entanto, em qual empresa a irregularidade ocorreu. Vai esperar que novos testes, de contraprova, confirmem ou neguem o resultado dos primeiros. As duas amostras que comprovaram a presença de formol foram retiradas

de caminhões que estavam levando leite para postos de resfriamento em Selbach e Crissiumal, no noroeste do Rio Grande do Sul. Depois de colher as amostras, a fiscalização encaminhou o produto para uma cooperativa com equipamentos adequados para transformá-lo em leite em pó.

Os proprietários dos 28 lotes com amostras negativas poderão retirá-los. Já as empresas que receberiam os lotes dos quais foram retiradas amostras positivas serão multadas e submetidas a regime especial de fiscalização até comprovarem que não estão processando leite adulterado, informou Signor. A Operação Leite Compen$ado prendeu oito pessoas na quarta-feira e uma na quinta-feira. Duas foram liberadas no mesmo dia, depois de prestar depoimento. Outras seis foram levadas do presídio de Espumoso para a sede do Ministério Público em Tapera, para depoimento, nesta sexta-feira. Cinco informaram ao promotor Mauro Rockenbach que só se manifestarão em juízo.

O empresário que falou alegou que só transportava leite sem ter conhecimento da adulteração. O sétimo preso está em Guaporé e será ouvido no início da semana que vem.

Relação dos lotes retirados do mercado:

Empresa Bom Gosto:

Leite integral Líder - lote TAP 1 MB fabricado em 17/12/2012.

Empresa Goiasminas:

Leite Italac Integral - lote L 05 KM 3 fabricado em 30/10/2012

Leite Italac Integral - lote L 13 KM 3 fabricado em 05/11/2012

Leite Italac Integral - lote L 18 KM3 fabricado em 07/11/2012

Leite Italac Integral - lote L 22 KM4 fabricado em 08/11/2012

Leite Italac Integral - lote L 23 KM 1 fabricado em 09/11/2012

Leite Italac Semidesnadato - Lote L 12 KM 1 fabricado em 05/11/2012

EmpresaVonpar:

Leite Mumu Integral - Lote 3 ARC, fabricado em 18/01/2013

Marcas com comercialização de leite suspensa:

-LatVida

-Goolac

-Hollmann

-Só Milk

Mais conteúdo sobre:
Frade no leite

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.