Reprodução/Google Street View
Reprodução/Google Street View

Após tragédia, Beltrame pede vistoria em prédio da Secretaria de Segurança

Secretário é síndico do edifício de 1937 que abriga também comércios e estação da Supervia

O Estado de S.Paulo,

02 Fevereiro 2012 | 21h42

RIO - Além de secretário de Segurança do Estado, o delegado José Mariano Beltrame é síndico do edifício da Central do Brasil, um marco da arquitetura art déco, inaugurado em 1937, onde fica seu gabinete. Depois do trágico desabamento da semana passada na Avenida Treze de Maio, ele decidiu pedir a realização de uma série de vistorias no prédio.

Vários órgãos de fiscalização do Estado e do Município estão envolvidos, além de concessionárias de serviços públicos e o Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (Crea) do Rio. A secretaria ressalta que se trata de uma vistoria preventiva. O conjunto, que abriga a estação ferroviária D. Pedro II, foi tombado em 1996.

O prédio também abriga a pasta da Administração Penitenciária. No térreo, administrado pela Supervia, há várias lojas comerciais. A empresa é responsável pela área operacional da estação de trens. Controlada pela Odebrecht, a Supervia já apresentou um projeto de modernização que está em análise no Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

Acidente. Nesta quinta-feira, agentes do Corpo de Bombeiros continuam o trabalho de buscas nos escombros no centro do Rio. O prédio vizinho, após uma semana fechado, foi autorizado a reabrir parcialmente na quarta, para que os donos pudesse retirar os pertences. O trecho entre o 5.º e o 9.º andar, no entanto, continuou fechado, obstruído por entulho dos prédios que caíram. A previsão é que essa parte seja liberada no domingo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.