Após trégua, temporais voltam a castigar Rio Grande do Sul

Chuvas derrubaram pontes e linhas de transmissão; 62 mil casas ficaram sem energia elétrica por algumas horas

Elder Ogliari, de O Estado de S. Paulo,

18 Novembro 2009 | 19h00

Depois de dois dias de trégua, a chuva e o vento voltaram a provocar estragos em diversas regiões do Rio Grande do Sul, nesta quarta-feira, 18, afetando pelo menos duas mil pessoas, segundo estimativa da Defesa Civil. No sul do Estado, os alagamentos forçaram centenas de moradores de Bagé, Caçapava do Sul, Dom Pedrito, Pedro Osório e Piratini a deixarem suas residências para procurar abrigos oferecidos pelas prefeituras ou se hospedar na casa de amigos e parentes.

 

Na região central, o vento arrancou telhados de dezenas de casas em Santa Cruz do Sul, Venâncio Aires, Vera Cruz e Passo do Sobrado. No leste, um vendaval com granizo danificou cerca de 300 casas. No noroeste também houve estragos, como destelhamentos em Cruz Alta e árvores derrubadas sobre ruas em Santo Ângelo durante a tarde.

 

Em Porto Alegre, a tempestade ocorreu de madrugada com ventania e chuva. Na zona sul da capital, a queda de árvores destruiu parte de uma casa, sem atingir as pessoas que estavam dormindo, e uma guarita de segurança de um edifício, deixando um vigilante ferido. No zona leste, um deslizamento de terra deixou parte dos pilares de uma casa sem sustentação. Os moradores foram retirados pela Defesa Civil porque há risco de desabamento.

 

Os temporais também derrubaram postes e linhas de transmissão, deixando 62 mil residências sem energia elétrica por pelo menos algumas horas durante o dia. Desde o início de novembro, 11 municípios gaúchos decretaram situação de emergência por casa de vendavais, enchentes, enxurradas e inundações. Três decretos, de Butiá, Feliz e Coronel Barros, foram assinados nesta quarta-feira.

 

Em análise publicada em seu site, a MetSul Meteorologia considerou o cenário meteorológico "potencialmente preocupante" para esta quinta-feira. Uma frente fria vindo do sul do continente vai encontrar atmosfera quente, úmida, muito instável, e de baixa pressão, condições que favorecem a ocorrência de temporais com rajadas de vento, chuva torrencial com risco de alagamentos e possivelmente granizo.

Mais conteúdo sobre:
chuvas RS

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.