Após virarem réus em ação e terem prisão preventiva decretada, 18 ativistas fogem

Um dia depois de a Justiça decretar a prisão preventiva de 23 ativistas envolvidos em manifestações de rua, 18 deles já são considerados foragidos. A polícia tentou cumprir os mandados de prisão na manhã de ontem, mas nenhum foi encontrado. Os cinco mandados cumpridos são de militantes que já estavam presos: Elisa de Quadros Pinto Sanzi, a Sininho, Igor Pereira D'Icarahy e Camila Aparecida Rodrigues Jourdan, além dos dois acusados de matar o cinegrafista Santiago Andrade: Fábio Raposo Barbosa e Caio Silva Rangel.

O Estado de S.Paulo

20 de julho de 2014 | 02h03

O juiz da 27.ª Vara Criminal, Flávio Itabaiana, decretou a prisão preventiva no mesmo dia em que o desembargador Siro Darlan havia concedido habeas corpus aos manifestantes presos desde 12 de julho, véspera da final do Copa, sob argumento de que eles planejavam "atos de extrema violência". A ONG Justiça Global classificou a ordem como "arbitrária" e pede ajuda do governo federal.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.