Tânia Rego/Agência Brasil
Tânia Rego/Agência Brasil

Após volta das atividades, centro de Vitória registra grandes filas

Idosos enfrentam longa espera sob forte sol para conseguir remédio na central de distribuição do SUS na capital capixaba

Marcio Dolzan, Enviado especial de O Estado de S. Paulo

13 Fevereiro 2017 | 14h06

VITÓRIA - Com a presença de poucos policiais militares e em pontos isolados da região central, o comércio de Vitória funciona normalmente nesta segunda-feira, 13, que marca o 10.° dia de paralisação da Polícia Militar no Espírito Santo. Bancos e casas lotéricas registram grandes filas. A central de distribuição de remédios do Sistema Único de Saúde (SUS), que funciona com hora marcada, também contava com espera até mesmo no lado de fora. O local ficou fechado durante a semana passada.

A aposentada Aurea Cunha, de 64 anos, protegia-se do sol forte embaixo de uma sombrinha enquanto esperava na fila para entrar na central de remédios, que estava lotada. "Estou na fila há meia hora, mas não me queixo. Pelo menos reabriu", afirmou ela, que todos os meses vai buscar remédio para sua mãe, Margarida Cunha, de 89. Margarida sofre do Mal de Alzheimer e vive numa casa de repouso.

"Nos primeiros dias não teve problema porque o pessoal da casa administrou a medicação de acordo com o que tinha lá, mas nos últimos três dias ela ficou sem remédio", contou Aurea.

O aposentado Atílio Sepulpo, de 83 anos, estava um pouco mais impaciente. "Já estou neste sol há uma hora", disse. Ele sofre de problemas de visão. "Mas tenho que enfrentar essa fila. Preciso do remédio."

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.