Aposentado é preso após se passar por delegado em Niterói

Para escapar do flagrante, falsário ofereceu dinheiro aos policiais; verdadeiro delegado conhecia o acusado

Ricardo Valota, do estadao.com.br,

08 de março de 2010 | 11h05

A curiosidade e a ousadia levaram para a prisão, na noite deste domingo, 7, o funcionário público aposentado Antonio Carlos Alves Cunha, de 57 anos, que vinha se passando por delegado de polícia em Niterói, na região metropolitana do Rio.

 

Ao ver policiais militares entretidos numa ocorrência de trânsito na Rua Miguel de Farias, no bairro de Icaraí, o aposentado se aproximou, perguntou o que estava ocorrendo e, para justificar sua intromissão, mostrou uma carteira de delegado em nome de Carlos Augusto Jorge Vidal. Ao desconfiarem de Cunha, os PMs pediram para ver o documento de identidade do suposto delegado.

 

Ao ter a verdadeira identidade descoberta, o falsário, para escapar do flagrante, ofereceu R$ 3 mil aos policiais, mas foi levado para a 77ª Delegacia de Polícia, onde o delegado de plantão, Lauro Rangel, entrou em contato com o verdadeiro Carlos Augusto Jorge Vidal e, ouviu do colega, que este conhecia o falsário.

 

Vidal disse também ao delegado plantonista que havia emprestado alguns documentos para o aposentado para ser fiador de Cunha no aluguel de uma casa, mas não sabia que o aposentado estava usando o nome dele na falsa carteira. O aposentado foi autuado em flagrante por corrupção e uso de documento falso.

Tudo o que sabemos sobre:
Niteróiestelionatodelegado

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.