Apreensão de arma de bandidos dá prêmios a policiais do Rio

Objetivo é incentivar retirada de armamento de alto poder de fogo, dando até R$ 2 mil por objeto apreendido

Agência Brasil,

13 Agosto 2008 | 16h56

O programa Desarme o Bandido, iniciativa da Subsecretaria de Inteligência da Secretaria Estadual de Segurança do Rio e do Instituto Brasileiro de Combate ao Crime, premiou na terça-feira, 12, sete policiais militares de cinco batalhões e três policiais civis de duas delegacias. O objetivo do programa é incentivar a retirada de armas de alto poder de fogo da mão de bandidos. Cada policial recebeu de R$ 1 mil a R$ 2 mil por fuzil, metralhadora ou submetralhadora apreendidos.    O secretário de Segurança do Estado, José Mariano Beltrame fez a entrega dos prêmios aos policiais. Segundo Beltrame, com o programa os policiais terão um ganho no cumprimento de seu dever. "O policial, além de cumprir o seu dever, tem uma opção e o reparo de obter, no cumprimento de seu dever, um plus, um diferencial, entregando essa arma e recebendo esse quantitativo", disse Beltrame.   O capitão Cláudio Eduardo Lopes, do Batalhão de Bangu, foi o policial mais premiado da cerimônia. Durante uma operação do Batalhão em julho, foram apreendidos três fuzis no morro Minha Deusa. O capitão afirmou que é muito importante para os policias o reconhecimento do esforço e da dedicação.   "Às vezes o policial da unidade operacional sente um pouco a ausência desse reconhecimento. Programas como esse fazem com que o policial resgate a credibilidade junto aos órgãos que têm um canal de comunicação com a sociedade".   De acordo com o programa, policiais que fizerem a apreensão sem violência, como resultado de uma denúncia, a premiação será dobrada. Além disso, os denunciantes também serão premiados com R$ 1 mil por fuzil.

Mais conteúdo sobre:
polícia SSP Rio de Janeiro crime

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.