Aproximação com o PT já produz alianças em São Paulo

Siglas articulam união em Osasco, Suzano, São Bernardo do Campo e em outros municípios noentorno da capital de SP

Bruno Boghossian, O Estado de S.Paulo

11 Setembro 2011 | 00h00

A decisão do PT de abrir espaço para alianças com o PSD nas eleições municipais de 2012 acelerou o diálogo entre os dois partidos na Grande São Paulo. Logo após o 4.º Congresso petista, que praticamente liberou a aproximação com o novo partido, o PT reforçou a busca pelo apoio do PSD a seus candidatos no Estado - mesmo sem aprovação formal a essa união por seu diretório regional.

Em junho, conforme revelou o Estado, a direção do PT paulista impediu a aprovação de resolução que queria proibir alianças com o PSD em São Paulo. Na ocasião, ficou acertado uma nova consulta aos filiados paulistas.

Mas, com o objetivo de reforçar suas chapas em locais considerados estratégicos, os petistas articulam coligações com o PSD em Osasco, Suzano, São Bernardo do Campo e outros municípios do ABC paulista. Já o novo partido flerta com o PT para dar corpo a suas pretensões eleitorais em Barueri e Carapicuíba.

Segundo líderes petistas, a resolução nacional do partido, que proibiu alianças com PSDB, DEM e PPS, deve liberar, na prática, as coligações com o PSD. A interpretação de dirigentes é que os recentes gestos de aproximação de Gilberto Kassab em relação ao governo Dilma Rousseff não permitem que o PSD seja encarado como inimigo.

"No momento em que o PSD abre um espaço de diálogo com o governo Dilma, há uma tendência de que eles sejam tratados como aliados, inclusive no Estado de São Paulo", avalia o presidente do PT paulista, Edinho Silva. "Na capital, o PT é oposição ao Kassab por questões específicas, mas não podemos construir nossa política de alianças pautados apenas por esse afastamento."

As alianças entre os dois partidos nos municípios paulistas ainda precisam ser formalizadas em seminário que o PT local vai organizar no fim do ano, mas mesmo os petistas descontentes com o pacto admitem que não há como impedir a aproximação.

Marinho. No ABC, a afinidade é tão grande que o prefeito de São Bernardo do Campo, Luiz Marinho (PT), atuou como um dos articuladores da criação do PSD. Foi uma retribuição ao apoio dado pelo DEM de Kassab quando o petista foi eleito, em 2008. A expectativa é que o PSD faça parte da coligação que vai brigar pela reeleição de Marinho.

Em Santo André, o PT também demonstrou interesse em buscar o apoio do partido de Kassab para eleger o ex-sindicalista Carlos Grana e admite até abrir vaga de vice para a nova legenda. As lideranças do PSD em Ribeirão Pires e em Diadema também flertam com os petistas.

A constatação de que "o PSD não é o DEM" facilitou uma aproximação com o PT em Osasco. O partido de Kassab sinaliza que vai apoiar a candidatura do petista João Paulo Cunha, réu no processo do mensalão, afastando-se da possível chapa encabeçada pelo ex-prefeito Celso Giglio (PSDB).

Em Suzano, a união ainda depende de um nome de consenso para suceder ao prefeito Marcelo Cândido (PT). Em Carapicuíba, o vereador petista Alexandre Pimentel lidera os diálogos com o partido de Kassab e, em Barueri, o PSD aposta na filiação do deputado estadual Gil Arantes (DEM), contando com o apoio do PT para lançar sua candidatura.

Em Guarulhos, governada pelo petista Sebastião Almeida, o PSD está próximo do deputado tucano Carlos Roberto.

O FLERTE NA REGIÃO METROPOLITANA

São Bernardo do Campo

O PSD deve apoiar a reeleição de Luiz Marinho (PT), que ajudou a estruturar a legenda no ABC

Ribeirão Pires

A ex-prefeita Maria Inês (PT) tenta obter o apoio de antigos aliados que devem ir para o PSD

Santo André

PSD é assediado pelo PT, que vai lançar o nome de Carlos Grana

Diadema

O PSD alega ter sintonia com grupos do PC do B, mas estuda apoiar os petistas

Osasco

O PT tenta conseguir uma aliança com o PSD a favor da candidatura do deputado João Paulo Cunha

Suzano

Os dois partidos têm interesses em montar uma aliança, mas pretendem buscar um candidato de consenso

Barueri

O partido de Kassab busca filiar um deputado estadual da região, que teria o apoio do PT

Carapicuíba

Há diálogos entre o PSD e o presidente da Câmara Municipal, o petista Alexandre Pimentel

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.