Apuração causa polêmica no Rio

Grupo de Acesso A poderá ter 12 desfiles em 2010

Alexandre Rodrigues, RIO, O Estadao de S.Paulo

04 de março de 2009 | 00h00

O resultado da apuração dos desfiles das escolas de samba nos Grupos de Acesso A e B virou uma grande confusão no Rio. Em seu primeiro ano, a Liga das Escolas de Samba do Grupo de Acesso A (Lesga) decidiu não rebaixar a última colocada, como previa o regulamento. No grupo B, duas escolas ficaram empatadas em primeiro lugar e reivindicam o direito de desfilar no Grupo A em 2010. Se prevalecerem os resultados, o desfile do Grupo A terá de acomodar 12 agremiações numa só noite. No Grupo Especial, cuja campeã foi a Acadêmicos do Salgueiro, são 6 por noite.Pouco antes da abertura dos envelopes com as notas dos jurados do Grupo A, cuja campeã tem o direito de desfilar no ano seguinte no Grupo Especial, o presidente da Lesga, Reginaldo Gomes, anunciou a decisão de não rebaixar a última colocada, alegando que todas foram prejudicadas pelo atraso das subvenções de R$ 300 mil, com a troca de governo e a crise econômica. A beneficiada foi a Caprichosos de Pilares. Última a desfilar, ela entrou na Sapucaí sob sol forte, o que realçou os defeitos de alegorias e fantasias. Teve a pior colocação.A decisão já havia sido tomada em dezembro pelos presidentes das agremiações. Mesmo assim, o secretário Especial de Turismo do Rio, Antônio Figueira de Melo, avisou que não aceita a quebra do regulamento. Em vez de uma maratona de 12 escolas em 2010, inviável mesmo com o tempo de desfile já reduzido de 80 para 60 minutos, quer, sim, uma escola descendo para o B e apenas uma subindo para o A, que continuaria com 10 escolas. Para isso, também cobrou da Associação das Escolas de Samba do Rio (AESCRJ), que organiza o Grupo B, um desempate entre Unidos de Padre Miguel e Acadêmicos do Cubango, para definir a campeã.NA JUSTIÇASe tiver de rebaixar a última colocada, o Grupo A pode ter outro impasse. A penúltima colocada, Inocentes de Belford Roxo, desfilou com um número de baianas abaixo do permitido, mas não foi penalizada com a perda de 0,7 ponto, em nome da crise. Como a distância entre a Caprichosos e a Inocentes na lanterna é de apenas 0,6 ponto, a escola de Pilares poderá reivindicar a penalidade para que a rival caia. A Estácio de Sá, por sua vez, ameaça ir à Justiça contra o resultado. A escola ficou em 5º lugar. Os presidentes da Lesga e da AESCRJ foram procurados, mas não retornaram os pedidos de entrevista.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.