Apuração de denúncias vai levar 30 dias

A Secretaria de Relações Institucionais da Presidência da República oficializou ontem a constituição de uma comissão de sindicância investigativa para apurar se há responsabilidade de funcionários do órgão pela produção de documento que leva a assinatura digital do ministro Alexandre Padilha. O documento pede autorização para a liberação de recursos do Ministério do Turismo ao Instituto Brasil de Arte, Esporte, Cultura e Lazer (Inbrasil), uma entidade fantasma.

Tânia Monteiro, O Estado de S.Paulo

15 de dezembro de 2010 | 00h00

A portaria criando a comissão foi publicada no Diário Oficial da União. A comissão terá 30 dias para concluir os trabalhos. O documento que leva a assinatura do ministro foi usado para aprovar convênios de R$ 3,1 milhões. O papel com a assinatura do ministro tem data de 22 de março. Padilha reconheceu como sua a assinatura, mas alegou que ela foi escaneada e usada indevidamente. Ex-assessora de Padilha, Crisley Lins, disse ao Estado que ele autorizara a feitura da carta.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.