Ar polar derruba termômetros

Em São Paulo, temperatura cai 13°C em 3 horas

O Estadao de S.Paulo

30 Agosto 2008 | 00h00

A previsão de queda acentuada da temperatura, motivada pela chegada de uma frente fria às Regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste do País, se confirmou ontem. Na capital paulista, em apenas três horas - entre as 14 e as 17 horas -, a temperatura despencou de 28°C para cerca de 15°C. "Foi o ar polar trazido pela passagem dessa frente fria que trouxe essa mudança repentina, que já estava prevista", afirmou o meteorologista André Madeira, da Climatempo. Na cidade de São Paulo, a temperatura máxima foi de 28,1°C, e a mínima, de 13,5°C. Apesar da queda brusca da temperatura, ontem não foi o dia mais frio do ano na capital - o recorde, de 11°C, ocorreu em 8 de maio. A frente fria também ajudou a aliviar a secura do ar. Nesta semana, no interior de São Paulo, em cidades como Ribeirão Preto, São José do Rio Preto e Presidente Prudente, a umidade relativa do ar chegou a ficar abaixo de 15% - segundo a Organização Mundial de Saúde, valores abaixo de 20% significam estado de alerta. Em São Paulo, a umidade relativa do ar marcou 52%, conforme o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). Segundo Madeira, hoje o dia continua frio e nublado, com a temperatura mínima prevista para 12°C, e a máxima, para apenas 19°C. Amanhã, o dia ainda vem com muitas nuvens, mas o sol reaparece, e a temperatura sobe um pouco: enquanto a mínima prevista ainda é de 12°C, a máxima sobe para 22°C. "A partir de segunda, o sol volta a aparecer mais forte, e a tendência para a semana que vem é de temperatura em elevação", afirma o meteorologista. OUTROS ESTADOS A temperatura também caiu significativamente na Região Centro-Oeste, castigada por tempo seco e temperaturas muito altas. Em Cuiabá, Mato Grosso, a temperatura variou de 39°C para 30°C, durante a tarde de ontem. Em Campo Grande, Mato Grosso do Sul, a oscilação foi de 35,1°C a 24,4°C. Em Curitiba, Paraná, a temperatura caiu de 27,6°C para 20,1°C. Queda semelhante ocorreu no Rio, mas o que chamou a atenção foi o vento forte, de 55 km/h.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.