Arcebispo realiza lava-pés no Rio

O arcebispo do Rio, dom Eusébio Scheid, abriu o Tríduo Sagrado da Semana Santa com a cerimônia do lava-pés, na Catedral Metropolitana do Rio. Scheid lavou e beijou os pés de 12 moradores de rua, repetindo o gesto de Cristo com seus apóstolos. Os doze homens têm idade entre 27 e 68 anos e são assistidos pela Pastoral Social da Catedral de São Sebastião. Entre eles há um motorista, um artista plástico, um auxiliar de enfermagem, um servente e um padeiro, entre outras profissões. "É o gesto talvez de maior humildade que existe", disse o arcebispo em seu sermão, referindo-se ao lava-pés.O pedreiro Celso Gomes, de 61 anos, foi um dos que participaram da cerimônia. Desempregado há um ano, ele mora na Casa de Acolhida, mantida pela congregação das Irmãs Missionárias da Caridade, a mesma à qual pertenceu Madre Teresa de Calcutá. "É um grande momento para mim. Sou católico e acho importante representar um dos 12 apóstolos", disse.À tarde, um homem identificado apenas como Marcelo, de 28 anos, escalou o lado externo da catedral, que tem 96 metros de altura. Do alto, ele lançou cerca de 100 folhetos, em que contava sua história. Marcelo queria chamar atenção para seu drama: viciado em drogas, ele quer receber tratamento em uma clínica especializada. Marcelo, que chegou a ficar de cueca, não ameaçou em momento algum se atirar do alto do edifício. Ele foi retirado do local pelo Corpo de Bombeiros.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.