Área de antigo incinerador dá lugar a praça e museu

Além da revitalização do Largo da Batata, a recuperação da área degradada do antigo incinerador de Pinheiros integra a Operação Urbana Faria Lima, prevista no Plano Diretor de São Paulo. No local, será inaugurada hoje a Praça Victor Civita, resultado da parceria público-privada (PPP) entre a Prefeitura e a Editora Abril. O espaço funcionou como centro de resíduos domiciliares, industriais e hospitalares por 40 anos. As cinzas do lixo incinerado eram enterradas no solo. Estudos feitos pela Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental (Cetesb) e pela Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente (SVMA) detectaram a presença de toxinas e metais pesados em quantidades acima do aceitável. "Por ser tão degradado no passado, desenvolvemos um projeto com soluções sustentáveis. Utilizamos madeira legalizada, sistemas de reúso de água e placas solares", explica a arquiteta Anna Julia Dietzsch, autora do projeto, em parceria com Adriana Blay Levisky. Atualmente, o espaço encontra-se recuperado e o terreno, coberto com uma camada de 50 centímetros de terra limpa para conter o processo de contaminação. Um deque de madeira, suspenso a 1 metro do solo, separa os visitantes do solo. As cerca de 80 árvores foram preservadas e, por enquanto, novas espécies não podem ser plantadas. "A recuperação de terrenos degradados para a ocupação humana, os chamados brown fields, é um problema que deve ser discutido pelos grandes centros urbanos e industriais, como São Paulo", observa Anna Julia. O prédio do incinerador foi totalmente recuperado e abrigará o Museu da Sustentabilidade, com exposições e atividades. A praça com quase 14 mil m² contará com arena de espetáculos, equipamentos de ginástica ao ar livre, pista de caminhada e centro de convivência para a terceira idade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.