André Dusek/Estadão
André Dusek/Estadão

Área do viaduto que caiu em Brasília será interditada até dia 19

Estudos alertavam sobre necessidade de manutenção no local; foi o segundo desabamento na capital em apenas três dias

Paulo Beraldo, O Estado de S.Paulo

07 Fevereiro 2018 | 08h25

SÃO PAULO - A área do viaduto que caiu na terça-feira, 6, em Brasília-DF, ficará interditada até pelo menos dia 19 de fevereiro, informou o governo Distrito Federal. Localizado no Eixo Rodoviário Sul, uma das vias mais movimentadas da cidade, o viaduto desabou por volta das 11h45, danificou um restaurante e esmagou carros na área central de Brasília. 

+ Parte de viaduto cai na região central de Brasília

Nos próximos dias, uma avaliação técnica e pericial sobre as causas do incidente será realizada. A definição sobre a necessidade de demolição ou recuperação será divulgada após a avaliação. 

Em 2011, o Sindicato da Arquitetura e da Engenharia (Sinaenco) havia publicado um estudo indicando que o viaduto necessitava de "intervenção urgente" por conta do alto número de veículos que trafegam ali diariamente.

A entidade afirmou, em comunicado, que os governos municipal, estadual e federal não investem o suficiente em manutenção de infraestrutura, fundamentais para o bom estado das obras. "Assim, edificações que têm vida útil estimada em 50 anos poderiam estar renovadas e em perfeitas condições de uso por muito mais tempo", diz a nota. 

O Tribunal de Contas do Distrito Federal (TCDF) também elaborou uma auditoria, concluída em julho de 2012, em que afirmava que os reparos na área eram "urgentes".

Após o acidente, o governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg (PSB) anunciou a criação de uma comissão para decidir de que maneira restaurar o local da forma mais adequada. Ele prometeu liberar R$ 1,4 milhão para tirar o entulho e reconstruir a estrutura. O governador disse também que o seu governo investiu R$ 67,7 milhões e priorizou a recuperação de viadutos, mas admitiu que este, em específico, não tinha passado pelo processo.

"São viadutos antigos. Desde o início do nosso governo, fizemos manutenção em oito viadutos, seis tiveram reforço da estrutura, infelizmente esse não recebeu manutenção. Brasília é uma cidade que está envelhecendo”, afirmou no local. 

O desabamento foi o terceiro em dois dias na capital. No domingo, 4, o piso e um edifício residencial localizado na Asa Norte, área nobre da cidade, cedeu e esmagou 25 veículos. A queda da estrutura, parte de um edifício construído há 40 anos, foi causada pela falta de impermeabilidade, com a presença de infiltrações e corrosões. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.