Wagner Eduardo / JetPhotos
Wagner Eduardo / JetPhotos

Argentina suspende buscas por avião que sumiu com brasileiros na Patagônia

Empresário, advogado e médico são estão desaparecidos; três amigos brasileiros haviam participado da festa de comemoração do aniversário de um aeroclube

José Maria Tomazela, O Estado de S.Paulo

12 de abril de 2022 | 09h28

Após seis dias de buscas, foi encerrada na noite desta segunda-feira, 11, a força-tarefa montada para procurar o avião desaparecido com três brasileiros a bordo, no último dia 6, na região da Patagônia, sul da Argentina. Conforme comunicado da Empresa de Navegação Aérea Argentina (Eana), responsável pelo tráfego aeronáutico no país, apesar de todos os esforços realizados, não foi possível encontrar nenhum vestígio da aeronave e dos seus passageiros. A nota informa que o centro operacional da Eana, em Comodoro Rivadavia, se mantém em alerta.

No avião que desapareceu, estavam o empresário Antônio Carlos Castro Ramos, dono de uma construtora em Florianópolis, o advogado Mário Pinho e o médico ginecologista Gian Carlos Nercolini. Parentes dos desaparecidos, que haviam se deslocado para Comodoro Rivadavia para acompanhar as buscas ‘in loco’, já retornaram para o Brasil e seguem em contato com as autoridades argentinas.

Desde que o avião desapareceu, após fazer o último contato com a torre de controle de Comodoro Rivadavia, as buscas mobilizaram aeronaves, embarcações e veículos da Força Aérea Argentina, Marinha, Exército e Defesa Civil. Cerca de 300 pessoas participaram das tentativas de encontrar o avião.

A aeronave de pequeno porte PP-ZRT desapareceu na tarde do dia 6, após decolar do aeroporto de El Calafate, a caminho do aeroporto de Trelew, na mesma região do sul argentino. Após perder contato com os tripulantes, o serviço de salvamento aéreo foi acionado e as buscas tiveram início ainda no fim da tarde. Os três amigos brasileiros tinham participado da festa de comemoração do aniversário de um aeroclube na região de Comodoro Rivadavia e iniciavam a viagem de regresso.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.