Arma que desapareceu de unidade do Exército é encontrada

Uma pistola calibre nove milímetros retirada no domingo, 29, da reserva de armamento do 26º Batalhão de Infantaria Pára-quedista do Exército, na Vila Militar, zona norte do Rio, foi encontrada no fim da tarde desta terça-feira, 31, na própria unidade. O sumiço da arma foi descoberto na segunda, conforme o Comando Militar do Leste informou. Foi aberto Inquérito Policial Militar (IPM) para apurar quem tirou a pistola do lugar.Considerado uma unidade de elite do Exército, o batalhão funcionou normalmente, apesar da ocorrência - nenhum militar chegou a ser detido. O CML não deu detalhes sobre o local onde a pistola foi achada.Em março do ano passado, dez fuzis e uma pistola foram levados do Estabelecimento Central de Transporte (ECT) do Exército, também na zona norte. Quatro militares, dois ex-militares e um civil foram denunciados pelo Ministério Público Militar por envolvimento no crime. Os dois ex-militares, um deles mentor da ação, tiveram facilidade para agir porque haviam trabalhado no ECT num período próximo à invasão.Por conta dos sucessivos casos de desvios de armas de depósitos localizados no Rio, a Procuradoria da Justiça Militar do Estado decidiu fazer levantamentos, a cada dois anos, para ter dimensão da quantidade de armamento que as Forças Armadas perdem para criminosos.O mais recente estudo foi iniciado em julho deste ano, com o objetivo de identificar casos não registrados entre 2004 e 2006. E, também, contabilizar quantos dos furtos notificados deram origem a inquéritos militares que resultaram em punições e recuperação do material. De acordo com o último relatório, referente ao período 1999-2004, 99 armas desapareceram dos quartéis do Exército, Marinha e Aeronáutica.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.