Reprodução de 'Jornal Nacional' (2020) / TV Globo
Reprodução de 'Jornal Nacional' (2020) / TV Globo

Armado com faca, homem faz repórter refém e invade sede da TV Globo

Segundo a emissora, enquanto o responsável pela ação ameaçava a repórter Marina Araújo, ele exigia a presença da também jornalista Renata Vasconcellos, apresentadora do Jornal Nacional; Bolsonaro presta solidariedade às jornalistas

Marcio Dolzan, O Estado de S.Paulo

10 de junho de 2020 | 16h56

RIO - Um homem armado com uma faca fez uma repórter de refém e invadiu a sede da TV Globo, no Jardim Botânico, na zona sul do Rio. A ação criminosa aconteceu no meio da tarde de ontem, durou cerca de 30 minutos e encerrou após negociação conduzida pela Polícia Militar. Ninguém ficou ferido.

A emissora classificou a ação como "obra de alguém com distúrbios mentais, sem nenhuma conotação política" e repudiou o ato. O homem, que não teve a identidade revelada, foi conduzido à delegacia e preso em flagrante por cárcere privado.

A ação aconteceu pouco depois das 15h. O homem rendeu a repórter Marina Araújo em uma rua próxima à sede da emissora e entrou no prédio exigindo a presença da também jornalista Renata Vasconcellos, apresentadora do Jornal Nacional e que ontem completou 48 anos. Testemunhas disseram que, minutos antes, o suspeito entrou em uma padaria próxima à emissora pedindo por uma faca, mas não conseguiu.

Seguranças da própria TV Globo isolaram a área e acionaram a PM. O coronel Heitor Henrique Pereira, comandante do 23° batalhão, conduziu as negociações. O suspeito largou a faca e se entregou assim que Renata Vasconcellos apareceu, após a jornalista receber orientação de Pereira.

Em nota, a emissora agradeceu à atuação da PM e das jornalistas. "Marina se comportou com coragem, serenidade e firmeza, sendo fundamental para o desfecho da situação. Renata foi corajosa, desprendida, solidária e absolutamente imprescindível para que tudo acabasse bem", diz o texto.

O presidente Jair Bolsonaro prestou solidariedade às jornalistas e disse que repudia qualquer ato de violência contra profissionais da imprensa. Ele pediu que o caso seja apurado logo e que o autor do crime seja "punido com o rigor da lei". 

CONFIRA A NOTA DA TV GLOBO NA ÍNTEGRA

Na tarde desta quarta-feira, um homem invadiu a sede da TV Globo, no Jardim Botânico, portando uma faca. Ele fez a repórter Marina Araújo refém. A segurança da Globo rapidamente agiu, isolou o local e chamou a PM. O comandante do 23° batalhão da corporação, coronel Heitor Henrique Pereira, compareceu à emissora e conduziu a negociação. O homem, que ameaçava a jornalista, liberou a repórter após alguns minutos. Marina e todos os funcionários que estavam no local não se feriram e passam bem. A Globo repudia com veemência todo tipo de violência. Foi obra de alguém com distúrbios mentais, sem nenhuma conotação política. Um homem que exigia ver a jornalista Renata Vasconcellos. Seguindo instruções do comandante Heitor, Renata compareceu ao local onde estava Marina e o invasor. Tão logo ele a viu, largou a faca e libertou Marina. Foi preso imediatamente. A TV Globo agradece à PM, ao coronel Heitor e a todos os policiais, cuja condução foi exemplar. Marina se comportou com coragem, serenidade e firmeza, sendo fundamental para o desfecho da situação. Renata foi corajosa, desprendida, solidária e absolutamente imprescindível para que tudo acabasse bem. As duas profissionais estão bem. E foram recebidas pelos colegas com carinho e emoção.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.