Armas encontradas são do Exército, confirma perícia

Uma perícia realizada pelos técnicos do 1º Batalhão de Polícia do Exército confirmou que os dez fuzis e a pistola encontrados pelo Exército em 14 de março, numa mata no bairro de São Conrado, zona sul do Rio, são as armas que haviam sido roubadas do Estabelecimento Central de Transporte (ECT).O resultado da perícia foi entregue ao encarregado do inquérito, coronel Edison Gomes de Souza Neto, semana passada. Em seguida, foi encaminhado à Justiça Federal, que já está avaliando a denúncia do Ministério Público Militar (MPM) sobre o caso.Sete pessoas foram denunciadas, sendo quatro militares da ativa, lotados no ECT e de plantão na madrugada do crime.Quando o armamento foi localizado, levantou-se a suspeita de que os fuzis e a pistola apresentados à imprensa não eram os que haviam sido levados. Isso porque o Exército não deu detalhes sobre como chegou às armas. Primeiro informou que foi através de uma denúncia sobre a localização do esconderijo. Depois, que soube do local por um informante e também que um trabalho de investigação levou às armas.O fato de elas estarem bastante enferrujadas chamou a atenção. No entanto, segundo especialistas, a oxidação é normal quando não há manutenção. Acredita-se que as armas tenham sido enterradas durante o tempo em que ficaram nas mãos dos bandidos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.