Arquidiocese confirma afastamento de padre Pinto

O padre José Pinto foi destituído de seu posto de pároco da Igreja da Lapinha. A decisão, tomada em janeiro pela Arquidiocese de Salvador, foi confirmada após uma reunião na última sexta-feira com o cardeal-arcebispo Geraldo Majella Agnelo e o padre superior-geral da Sociedade das Divinas Vocações, o italiano Ludovico Calbutto que viajou de Roma especialmente para tratar do caso de padre Pinto. O sacerdote passou a se comportar de maneira não-convencional após a Festa de Reis na Lapinha quando, entre outras coisas, rezou missa maquiado e fantasiado de orixá. A decisão da Igreja foi comunicada oficialmente aos paroquianos na missa deste domingo pela manhã na Lapinha, celebrada por Calbutto. Ele também anunciou que a partir de agora o novo pároco é o padre Roberto da Silva. Padre Pinto foi "rebaixado" na hierarquia da Paróquia da Lapinha, mas não será expulso da Igreja e permanece membro da Congregação das Divinas Vocações. Contudo, perdeu sua residência na casa paroquial e terá de morar no quarto do fundo do centro comunitário da congregação, situado ao lado da Igreja da Lapinha. Se voltar a ter um comportamento que a igreja considera "normal", Pinto poderá voltar a celebrar missas. O religioso chegou a ameaçar a Igreja de revelar falhas de comportamento de integrantes da instituição, que dizia ter conhecimento, caso fosse punido. A conversa com Cabultto o fez, contudo, mudar de idéia e ele aceitou as novas determinações sem maiores reações. Tanto que viajou para a Ilha de Itaparica para descansar afastando-se do carnaval, festa que pretendia brincar desfilando no afoxé Filhos de Gandhy e circulando pelos camarotes.

Agencia Estado,

26 Fevereiro 2006 | 14h51

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.