Arquivado caso da morte de professor por soldados no Rio

A família do professor Frederico Branco de Faria, assassinado em março do ano passado ao furar um bloqueio montado pelo Exército numa rua da zona norte do Rio, recebeu com resignação a notícia do arquivamento do Inquérito Policial Militar (IPM) que apurava o caso. A vice-procuradora-geral da Justiça Militar, Adriana Lorandi, que decidiu pelo fim da investigação na semana passada, entendeu que os militares responsáveis pela blitz e aquele que disparou contra o carro de Faria agiram ?em legítima defesa dos integrantes do Grupo de Combate, tornando-se irrelevante a autoria do disparo fatal, posto tratar-se de conduta lícita.? Adriana também levou em consideração o fato de o exame de confronto balístico realizado para determinar a autoria do disparo que vitimou o professor não ter concluído de qual arma partiu o tiro. A família não está pensando em recorrer da decisão.Leia abaixo as notícias da morte do professor: Exército mata motorista que furou bloqueio no Rio Professor morto pelo exército não viu ordem de parar, diz namorada

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.