Articulações já envolvem sucessão na Câmara em 2013

O PMDB se empenha em inviabilizar, desde já, qualquer pretensão petista de lançar candidato à sucessão de Marco Maia (PT-RS). O PT e o PMDB dividiram a presidência da Câmara em um acordo, no qual cada partido comandaria a Casa por dois anos.

Eugênia Lopes e Denise Madueño, O Estado de S.Paulo

29 de maio de 2011 | 00h00

O PMDB não confia no aliado e teme uma disputa, em 2013, quando será eleito um novo presidente. O candidato peemedebista para o comando da Câmara é o deputado Henrique Eduardo Alves, que conseguiu reunir a base aliada na votação do Código Florestal contra o governo e agradou a maioria.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.