Árvore antiga com cupins

Carta 19.321Há 30 anos plantaram uma árvore em frente de casa (Rua Cafelândia), que está com uns 15 m de altura. Nestes últimos três anos ela foi enfraquecendo, está ôca e tem cupins. Fiz vários pedidos de vistoria à Sub Lapa, mas nada é feito: não atendem nem dão resposta. Por disso, decidi contatar uma engenheira agrônoma da Prefeitura, que conheci ao na comissão formada para fazer olevantamento do tipo e estado das árvores do Sumaré. Em visita ao local , a própria engenheira confirmou o comprometimento da árvore, realmente infestada de cupins, tanto que agora, todas as tardes, há uma revoada de cupins que saem da base da árvore e se espalham a sua volta. Esse problema já ocorreu com uma árvore na calçada de um vizinho, que tombou, alcançando a calçada do outro lado interditando a rua, além de causar sérios problemas nas redes elétrica e telefônica. Peço a remoção urgente da árvore, antes do período de chuvas do verão, para que não aconteça algum acidente de graves conseqüências. NOEMI CAMERINISumaréA Sub Lapa responde:"Vistoriamos novamente o exemplar arbóreo citado. Ele foi podado anteriormente e está com a copa baixa, o que reduziu o sombreamento interno do imóvel que era uma das queixas da moradora. No momento não vemos necessidade de corte, embora realmente existam cupins ativos no exemplar."Em 15/11, uma árvore com menos cupins caiu, e foi retirada só 12 dias depois. A leitora receia que isso ocorra de novo. Carta 19.322Limpeza dos riosTrafegando pelas Marginais, fico impressionada com a quantidade de lixo sólido que bóia no caldo preto e denso dos rios que atravessam a cidade. A impressão é que as administrações perderam o controle sobre rios e córregos. Sei que a queixa não é nova, mas será que as autoridades já pensaram em colocar lixeiras nos bairros de periferia e nas favelas para que os habitantes mais pobres joguem seu lixo. Aqueles que fazem o planejamento da cidade incluíram no orçamento uma verba suficiente para a limpeza periódica dos rios? Há planos de fazer uma campanha de conscientização da população para que não se jogue lixo na rua e nos córregos? Há multas e sanções (e fiscalização) para quem joga lixo em ruas e córregos? E não seria possível usar a verba arrecadada com multas para financiar campanhas? Tantas cidades no mundo já provaram que é possível manter os rios limpos - por que não São Paulo? Tudo isso ajudaria a amenizar as enchentes que atormentam a população.EDDA SIGNE MÖBUSCapitalO Depto. de Águas e Energia Elétrica (DAEE) responde:"O problema é realmente preocupante. Durante as obras de aprofundamento da calha do Rio Tietê, retiramos mais de 120 mil pneus do fundo do rio. Isso é equivalente a uma frota de 24 mil veículos, incluindo o estepe. Anualmente, o DAEE e a AES Eletropaulo retiram 8,6 mil toneladas de lixo urbano dos Rios Tietê e Pinheiros. Todo esse lixo chega aos rios porque foi jogado em lugares indevidos. E grande parte do lixo jogado nas ruas, terrenos baldios e margens dos rios vai parar em bueiros, galerias pluviais e dentro dos córregos, obstruindo o escoamento natural das águas e ocasionando inundações e alagamentos. Quanto às outras questões, sugerimos que a consulta seja encaminhada à Prefeitura, responsável pela coleta e disposição final do lixo na cidade."A Prefeitura responde:"Temos investido em campanhas educativas para que a população não jogue lixo em ruas ou córregos. Em março, em parceria com o Governo do Estado, lançamos o Programa Córrego Limpo, com objetivo de despoluir os córregos da cidade, em ação complementar à despoluição dos Rios Tietê e Pinheiros, já que atinge os afluentes desses rios. O programa atenderá mais de 40 córregos em dois anos, e em 10 anos, 200 córregos estarão limpos. O sistema de micro e macrodrenagem é constantemente limpo. Já removemos 767 mil m³ de detritos dos 17 piscinões da cidade e fizemos limpeza mecânica de 10,6 milhões de m² de córregos e limpeza manual de 567,8 mil metros. As 397 mil bocas de lobo receberam 1,6 milhão de limpezas e os 57 mil poços de visita, 162,8 mil. Desde jan/05, operações cata-bagulho, evitam que o material inservível seja jogado nos córregos. E há lei que prevê sanções e multas para quem joga lixo na rua ou deposita entulho em locais irregulares."ANDREA MATARAZZOSecretário das SubprefeiturasCorrespondência para São Paulo Reclama: e-mails para spreclama.estado@grupoestado.com.br; cartas para Av. Eng.º Caetano Álvares, 55, 6.º, CEP 02598-900 ou fax 3856-2929, com nome, end., RG e tel., a/c de CECILIA THOMPSON, podendo ser resumidas a critério do jornal. Cartas sem esses dados não serão consideradas. As respostas não publicadas serão enviadas pelo correio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.