'As pessoas precisam trabalhar', diz Carlos Lupi sobre mototáxi

Ministro do Trabalho defendeu regulamentação da profissão; lei sancionada na semana passada causou polêmica

Carolina Freitas, Agência Estado

03 Agosto 2009 | 13h59

O ministro do Trabalho e Emprego, Carlos Lupi, defendeu nesta segunda-feira, 3, a regulamentação da profissão de mototaxista, feita por lei sancionada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva na semana passada. "Tem como acabar com eles? Não. É uma realidade", disse ele. "São Paulo e Rio têm 1 milhão de mototaxistas. As pessoas precisam trabalhar. Vamos deixá-las sem direito à sobrevivência?"

 

Veja também:

link'Não há lugar para mototáxis em SP', diz Andrea Matarazzo

 

A regulamentação causou polêmica por conta dos riscos de acidente de moto. O próprio ministro da Saúde, José Gomes Temporão, aconselhou, sem sucesso, Lula a vetar a lei. O ministro argumentou nesta segunda que, para garantir a segurança do meio de transporte, o Ministério prepara cursos de conscientização e direção defensiva aos profissionais. O governo vai destinar R$ 200 milhões do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT) para crédito para renovação de frota de táxis e mototáxis. Segundo Lupi, a Caixa Econômica Federal vai anunciar os detalhes do empréstimo ainda esta semana.

 

Para o ministro, é possível mototáxis circularem em grandes cidades, como São Paulo e Rio, até mesmo nas regiões de tráfego pesado. "É possível sim. Tem de acabar com o preconceito." Questionado sobre o perigo de acidentes, o ministro respondeu: "Risco de vida a gente tem quando sai de casa, quando viaja de avião e de carro. Acidente pode acontecer em qualquer sistema de transporte."

Mais conteúdo sobre:
Carlos Lupi mototáxi

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.