Às vésperas do carnaval, FAB teme boicote e convoca todos os controladores

Às vésperas do carnaval, a Aeronáutica teme uma radicalização da mobilização dos controladores de vôo e novo apagão nos aeroportos, nesta sexta-feira, 16. O porcentual de vôos com pelo menos meia hora de atraso chegou a 30% no início da noite desta quinta-feira, 15, índice superior ao normal para vésperas de feriado. Para dar conta do aumento de demanda, a Aeronáutica convocou todos os operadores ao trabalho, mesmo os que tinham folga programada, o que aumentou a insatisfação na categoria. Segundo a Força Aérea Brasileira (FAB), esse ajuste da quantidade de tráfego à de controladores ?tem acontecido diariamente? e proporcionado um serviço seguro. De acordo com o presidente do sindicato dos operadores civis do Rio, Jorge Botelho, há ?insatisfação generalizada? na categoria ele afirmou que, a partir desta sexta, há risco de problemas nas centrais de Brasília (Cindacta-1, que monitora 85% da aviação regular do País, cerca de 3 mil vôos diários) e Curitiba (Cindacta-2) e nos controles regionais de Rio e Salvador. O deputado Alberto Fraga (PFL-DF), que se reuniu com controladores na quinta-feira, informou que eles estão dispostos a fazer operação-padrão - trabalhar observando os procedimentos de segurança com rigor extremo, monitorando, no máximo, 14 vôos simultaneamente. Com isso, atrasos serão inevitáveis. ?Se preparem, o carnaval pode ser um transtorno violento. Vai ser o apagão total e ninguém conseguirá viajar?, disse Fraga, na Câmara. Setores do governo apostam que a ameaça é um blefe promovido por controladores interessados em desmilitarizar o setor - na quarta-feira, o governo adiou em um mês a definição dessa questão. Em nota, o comando da Aeronáutica afirmou que ?está atento ao incremento de movimento de aeronaves no carnaval e tem se preparado de modo a permitir que o controle de tráfego aéreo seja adequado a essa situação?. Controladores Na noite desta quinta-feira, 15, controladores de Brasília informaram ao Portal Estadão que as retenções de vôo estavam aumentando, por causa do tráfego aéreo pesado. O balanço da Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero) mostrou que o índice de atrasos cresceu durante aquele dia. Até as 18 horas, era de 26,5%. Por meio de sua assessoria, a Infraero explicou que uma média de atrasos de até 20% dos vôos programados é ?suportável? em dias que antecedem feriados. ?Não precisa fazer nada para ter atraso no carnaval. O sistema apresenta problemas sozinho e não agüenta o aumento de vôos nos feriados porque não tem pessoal suficiente para operá-los, os radares estão sempre com restrições de operação e as freqüências usadas na comunicação por rádio entre controlador e piloto continuam falhando?, disse Botelho. ?Se chover, pior ainda.? Segundo fontes ligadas a empresas aéreas, os controladores já definiram até a tática a ser utilizada para pressionar o governo no feriado: desfalcar equipes, arrumando justificativas para faltar ao trabalho. Outras pessoas do setor ouvidas pela reportagem afirmaram que os controladores pretendem concentrar a operação-padrão na volta do feriado. Poucos atrasos em SP Poucos atrasos ocorreram no Aeroporto de Congonhas nesta quinta-feira, às vésperas do carnaval. Um problema no aeroporto do Porto Alegre, não informado para a Infraero, retardou a chegada de praticamente todos os vôos vindos dos Sul do Brasil. Às 20 horas, dez vôos vindos do Sul estavam atrasados. Cinco vôos chegaram e cinco vôos saíram de Porto Alegre com atrasos superiores a uma hora no final da tarde e início da noite de ontem. A demora foi conseqüência de chegadas retardadas de aviões que haviam passado pelo Sudeste e por Montevidéu. Parte dos vôos das sete companhias aéreas que operam no aeroporto de Congonhas terá seus horários alterados enquanto durarem as obras de recuperação da pista secundária de pousos e decolagens do aeroporto. A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), a Aeronáutica, a Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero) e representantes das empresas começaram ontem a detalhar quantos vôos sofrerão mudanças. As obras na pista secundária começam após o carnaval. (Tânia Monteiro, Mariana Barbosa, Sérgio Duran, Isabel Sobral e Elder Ogliari)

Agencia Estado,

16 Fevereiro 2007 | 01h54

Mais conteúdo sobre:
carnaval carnaval 2007

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.