As vítimas no solo

MORTOSJosé Antonio Rodrigues Santos Silva - 50 anos, gerente geral de tráfego da TAM, trabalhava no prédio atingido pelo avião. Sofreu fraturas, queimaduras e intoxicação. Após o acidente, falou com a mulher ao telefone e disse que estava ajudando a salvar colegas. Morreu anteontem no hospital Oswaldo Luiz de Souza - 49 anos, estava com três irmãos - Luís Fernando, Paulo César e Romualdo - no prédio atingido e foi o único a morrer. Sua empresa, que sustentava toda a família, recolhia material de laboratórios farmacêuticos e despachava, via TAM Express, para hospitais e clínicasMichele Dias Miranda - 24 anos, apesar de não confirmado, ela seria a funcionária da TAM que pulou do prédio em chamas, logo após o acidente. Desesperada, se jogou de uma altura de 15 metros, apesar dos pedidos para que mantivesse a calmaDESAPARECIDOSAntonio Gualberto Filho - gerente de desenvolvimento da TAM Express, costumava sair do trabalho por volta das 18h30, mas uma reunião o fez ficar até mais tarde. Depois do acidente, não voltou para casa. "Tinha medo quando ele voava, mas não quando estava em terra", afirma a filha Daniela Ana Paula Camargo - 23 anos, solteira, líder de call center de cargas da TAM ExpressAlexandre L. Catussatto - 27 anos, solteiro, executivo de contas da TAM ExpressElaine Tavares da Silva - 33 anos, solteira, assistente comercial da TAM ExpressMarcos A L. Curti - 50 anos, casado, gerente comercial de cargas Brasil da TAM ExpressThiago Domingues da Silva - 22 anos, era taxista e trabalhava no Aeroporto de Congonhas. Deixou a mulher, que o ajudaria a encontrar passageiros, na área de desembarque. Cinco minutos antes do acidente, foi dar uma volta no quarteirão e não apareceu mais. A família ainda procura por ele IML Cláudia Bárbara - prestadora de serviços para a TAM ExpressAdrién Bisson - prestador de serviços para a TAM ExpressGustavo Rodrigues - prestador de serviços para a TAM ExpressAINDA HOSPITALIZADOSFabrício Nicoletti - 25 anos, administrador de empresas, trabalhava no setor de logística da TAM Express. Internado na UTI do Hospital São Paulo, passa bem e não está em estado grave. Segundo o pai, Sérgio Nicoletti, ortopedista do mesmo hospital, ele sofreu queimaduras e intoxicaçãoGerson Antonio Rocga Junior - funcionário da TAM Express, está internado no Hospital do Servidor Público Estadual e passa bem. Teve as mãos e rosto queimadosRenato Soares dos Santos - 26 anos, funcionário da TAM Express, internado no Hospital Santa Bárbara, mas com previsão de alta para os próximos dias. Seu estado é bom, recupera-se de problemas no pulmão por causa da fumaçaUbiratan Carvalho - 30 anos, funcionário da TAM Express, está internado em estado grave na UTI do Hospital Santa Bárbara. Deve ser submetido a cirurgia no rosto. Sofreu ainda trauma no tórax, com comprometimento pulmonar Valdinei Nascimento Murici - 33 anos, funcionário da TAM Express, internado em estado grave na UTI do Hospital Santa Bárbara. Segundo o hospital, ele teria pulado do prédio. Sofreu fraturas e queimaduras de terceiro grau no rosto, mãos e pés

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.