Assaltante confessa ter atirado em estudante

O assaltante Luiz Augusto Castro de Souza, de 28 anos, o Lídio, confessou nesta quinta-feira, diante de jornalistas, ser o autor do tiro que matou a estudante Gabriela de Prado Ribeiro, de 14 anos. O crime ocorreu na tarde de terça-feira, numa tentativa de assalto à bilheteria da estação São Francisco Xavier do Metrô, na zona norte do Rio.A menina foi assassinada durante troca de tiros entre Lídio e o policial civil Luiz Carlos da Costa Carvalho Neto, quando descia as escadas que levam à estação. "O tiro acertou sem querer, foi tudo muito rápido. Eu só atirei, não tentei matar ninguém", disse o criminoso, na Delegacia de Repressão a Armas e Explosivos (Drae).Lídio é o segundo acusado do assalto a ser capturado pela polícia. Nesta quarta-feira, Anderson de Souza Ribeiro, de 22 anos, foi detido com um tiro no braço esquerdo no Hospital Miguel Couto, no Leblon. O delegado Celso Couto, coordenador de policiamento da capital, levantou dúvidas sobre a participação de Anderson no crime."O Anderson não compõe o grupo de pessoas filmadas, mas não se descarta a participação dele", disse o policial, que investiga a possibilidade de Anderson ser Paulinho, citado por Lídio como o homem que aguardava a quadrilha em um carro roubado.O assassino confesso foi preso em casa, no Morro do Zinco, no Estácio, zona norte, durante operação da Polícia Civil que durou toda a manhã desta quinta e mobilizou 50 agentes. Além do Morro do Zinco, a polícia esteve nos Morros de São Carlos, do Escondidinho e na Favela Paula Ramos, todos na mesma região.Nesta última, houve tiroteio com traficantes, mas ninguém ficou ferido. Segundo a polícia, a quadrilha é especializada em assalto a estações do Metrô e atua há pelo menos um ano. De acordo com a polícia, o objetivo da operação desta quinta era prender os dois homens que aparecem assaltando a bilheteria no vídeo registrado pelo circuito interno do metrô.Eles foram identificados como Carlos Eduardo Soares Ramalho, o Nego, e Luiz Carlos Ferreira da Silva, o Globão. Lídio teria sido preso graças a denúncias recebidas no decorrer da ação policial. Policiais informaram que Nego, acusado de matar uma ex-namorada e a mãe dela, foi filmado duas outras vezes assaltando o metrô.Na fita, divulgada nesta quarta na TV, Globão é o homem de camisa preta que anuncia o assalto e entra na bilheteria. Nego está de camisa branca. Ambos disparam contra o policial civil de Brasília Renato Lemos Naiff, que passa férias no Rio. O ferimento do policial foi leve e ele teve alta nesta quinta-feira. Um quinto assaltante foi identificado como Rafael Gomes, o Gago.A família de Gabriela Ribeiro vai fazer um ato pela paz em missa a ser realizada na Igreja São Francisco Xavier, na Tijuca, zona norte, ao lado da estação de metrô onde a menina foi morta. Será no domingo, às 18 horas. Os pais dela querem evitar que outras famílias sofram como eles por causa da violência na cidade."Esta luta para prender os criminosos não resolve, mas pode melhorar. Cada um fazendo um pouquinho faz com que as autoridades tomem providências. Estamos fazendo isso por ela", disse a mãe da adolescente, a psicóloga Cleide Ribeiro.O pai, o também psicólogo Carlos Santiago, disse que falta união entre os governos federal, estadual e federal para deter a criminalidade. "Seria uma utopia dizer que isso não vai acontecer com mais ninguém, mas se um único pai não tivesse essa dor que estou sentindo já me sentiria vitorioso."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.