Assaltante de empresário em Campos do Jordão é preso

O assaltante Anderson Luiz da Silva, de 22 anos, conhecido por Cabeção, foi preso na madrugada de hoje em Campos do Jordão, na Serra da Mantiqueira, depois de assaltar a casa de um empresário da cidade. Silva e o comparsa, conhecido por Ursinho, que está foragido, renderam o empresário Sílvio da Costa Rios, de 43 anos, quando ele chegava em sua casa, no bairro Alto Capivari, região nobre do município.O empresário, dono de um restaurante em Campos do Jordão, foi obrigado a entrar com os bandidos na casa. Ele, a mulher e dois filhos adolescentes foram amarrados e trancados em um quarto, para que os ladrões tivessem tempo de vasculhar os outros cômodos. De posse de jóias, dinheiro, talões de cheque, os assaltantes também quiseram levar o carro da família, um Renault Cenic importado. Como nenhum dos dois ladrões conseguia engatar a marcha ré, foram até o quarto, desamarraram o empresário e pediram que ele os ensinasse a mexer no câmbio do veículo. A vítima ensinou como manusear a marcha, foi novamente amarrada e os bandidos fugiram com o carro. Como não sabiam dirigir, bateram o veículo em um mura na mesma rua onde fizeram o assalto. Sem saída, tentaram fugir a pé, mas foram cercados por policiais militares.A dupla disparou vários tiros em direção aos policiais, que revidaram. Na troca de tiros, ninguém ficou ferido e, apesar do cerco, um dos bandidos conseguiu escapar. Na delegacia, o acusado contou que tiveram a idéia de assaltar o empresário porque estavam muito bêbados e armados com revólveres calibre 38. "Eu não sei dirigir, mas não sabia que ele (o outro assaltante) também não dirigia". Silva, que também responde por tentativa de homicídio e furto, havia saído do Centro de Detenção Provisória de Taubaté há dois meses e aguardava julgamento em liberdade. "Eu só fui roubar por necessidade". A polícia civil não divulgou o valor do dinheiro roubado. Apenas informou que parte dele foi devolvida à vítima. Segundo o delegado Jorge Neves Esteves, o indiciado terá que responder por roubo e tentativa de homicídio contra os policiais. "Foi um caso pitoresco, já que a vítima foi forçada a ajudar os ladrões a roubar o carro e eles ainda bateram o veículo". A polícia acredita que o acusado tenha praticado outros crimes semelhantes a esse, que ocorreram na cidade durante a temporada de inverno. O empresário foi procurado pela Agência Estado em seu restaurante, mas segundo os empregados, não falaria sobre o assunto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.