Assaltantes em fuga por mais de 600 km são presos no DF

Agentes da Polícia Federal do Distrito Federal detiveram, na segunda-feira, 12, em uma lanchonete na cidade de Recanto das Emas, a 25 quilômetros de Brasília, os assaltantes de banco Daniel Bruno Torres, o "Baixinho", e Leonardo Hindelburgo, o "Chapelão", acusados de integrar uma quadrilha que, no dia 6 de fevereiro, invadiu uma agência bancária no município de São Romão, no noroeste mineiro, da qual foram roubados R$ 300 mil em dinheiro.Um total de quatrocentos policiais militares, que se revezaram, participaram da caça aos criminosos. Após o assalto, os cinco criminosos fugiram levando vários reféns, que foram soltos um a um e trocados por outras vítimas.Os assaltantes chegaram a percorrer de carro, por 130 quilômetros, uma estrada de terra até um matagal na cidade de Bonfinópolis de Minas, quase na divisa com o Estado de Goiás. Ao serem detidos, Daniel e Leonardo não reagiram, pois estavam desarmados. Com eles os policiais apreenderam coletes à prova de balas.Foram mais de 600 quilômetros de fuga, segundo a polícia. "A uns cinco quilômetros de onde eles me pegaram, eles toparam com duas viaturas da Polícia Militar. No momento eu estava com a cabeça baixa, e só escutei os tiros. Eu só pensava que podia vir uma bala de lá e me matar", contou o funcionário público Marcon da Mota Corrêa, um dos reféns.Um comparsa da dupla já havia sido preso no Estado de Goiás, segundo a policia. Restam portanto ser recapturados apenas dois dos bandidos que efetivamente participaram do assalto.Mas a Polícia Federal acredita que haja mais pessoas por trás do grupo, pois os assaltantes conseguiram abrigo para se esconder tanto e Brasília (DF) como em Minas Gerais. Nem o dinheiro nem as armas usadas no crime foram apreendidos.A dupla detida na segunda será encaminhada ao Estado de Minas Gerais para responder o processo no território onde ocorreu o crime. Segundo o delegado Alfredo Junqueira, da Polícia Federal, o bando é responsável por assaltos em diversos Estados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.