Assaltantes espancam dono de bar em Sumaré

O comerciantes Alexandre Ribeiro Pereira, de 55 anos, conhecido como Bigode, foi violentamente agredido durante um assalto contra seu bar nesta madrugada, às 3h30, em Sumaré. Pereira está internado em estado grave no Hospital Estadual da cidade. Os ladrões agrediram o comerciante com uma talhadeira, um pé-de-cabra e um facão de cortar cana.Quando ainda estavam agredindo Pereira, Ricardo Luiz Marino Torres, de 20 anos, e Cléber Eduardo Magalhães, de 18 anos, foram presos em flagrante pela Guarda Municipal de Sumaré. Magalhães foi detido dentro do bar. Torres tentou fugir, atravessou a Avenida da Amizade, no Parque da Amizade, onde está localizado estabelecimento de Pereira, e pulou um barranco. Fraturou o fêmur e acabou sendo atendido no mesmo hospital para onde foi levado o comerciante.Segundo vizinhos, Pereira decidiu dormir dentro de seu bar porque a porta estava arrombada, devido a outro assalto recente. A polícia informou que não tem registro dessa ocorrência. Por volta das 3h30, uma viatura da GM, com dois guardas, passou em frente ao bar. Os guardas estranharam a porta aberta e desceram para averiguar. Dentro do estabelecimento, os dois assaltantes ainda agrediam Pereira, que estava estendido no chão. O comerciante tinha ferimentos profundos nas costas, na cabeça, no pescoço e as mãos estavam quase decepadas. Ele foi levado para o hospital, passou por cirurgias e está internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Segundo o diretor de Assistência do Hospital Estadual de Sumaré, Dario Victor Labbate, o estado de saúde da vítima é grave, mas ainda não é possível avaliar as chances de recuperação, nem as seqüelas das agressões.Labbate explicou que Pereira foi internado com múltiplas lesões nos braços e no corpo. Teve fratura de crânio, ferimentos nas costas e no pescoço. As lesões nos braços comprometeram a circulação dos dedos e das mãos, o que pode acarretar perda de movimento. "Mas ainda é difícil diagnosticar". O assaltante Torres foi submetido a uma cirurgia no fêmur e passa bem. Os dois acusados deverão permanecer presos na Cadeia de Sumaré. Magalhães é primário, mas Torres tem passagem pela polícia por roubo e furto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.