Assaltantes fazem 20 reféns no Pará

Quatro assaltantes em fuga mantiveram vinte pessoas reféns por mais de duas horasdentro de um ônibus da linha Benevides-Iguatemi, na tarde desta quarta-feira em Ananindeua,município da região metropolitana de Belém. Eles apontaram suas armas para acabeça de uma criança de dois anos, a quem transformaram em escudo, e só serenderam depois de demorada negociação com os homens do Comando de Operações Especiais, da Polícia Militar.O assaltante Idenilson Batista levou um tiro na perna. Ele e seu comparsa, JoãoFrancinei Cardoso, foram presos. Os outros dois homens, ainda não identificados,conseguiram fugir. "Eu já tinha me rendido quando um PM me baleou", afirmouBatista aos jornalistas. O corretor de seguros Luiz Antonio Batista , disse quetemeu pela vida da criança. "Eles estavam muito nervosos e pareciam armar umatragédia, mas depois que a polícia chegou ficaram mais calmos".Antes de invadir o ônibus, os bandidos obrigaram o proprietário de uma granja quehaviam assaltado a dar-lhes fuga em sua camionete Saveiro. Quando uma viatura daPM apareceu, houve troca de tiros. O carro foi abandonado na rodovia BR-316,quando os assaltantes, num gesto de desespero, entraram no ônibus que havia paradopara apanhar passageiros. "Foi tudo rápido, e muita gente entrou em pânico,principalmente as mulheres", revelou o motorista do ônibus, Ivanildo Petuco.O delegado Clóvis Oliveira enquadrou Batista e Cardoso por assalto, cárcereprivado e formação de quadrilha."Espero que sejam condenados a pelo menos uns dezanos de cadeia".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.