Assaltantes invadem prédio em Santa Teresa, no Rio

O músico da Orquestra Sinfônica Brasileira Ernesto Gonçalves, de 56 anos, e a professora de Virologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Genoveva Hubinger, de 66, ficaram como reféns durante uma hora de assaltantes, que invadiram o prédio em que moram, hoje pela manhã, em Santa Teresa, na zona sul. Os quatro homens, dois deles armados, observaram o edifício durante algum tempo e sabiam até a profissão dos moradores. Os criminosos foram surpreendidos pela polícia. Eles improvisaram uma corda com lençóis e pularam do terceiro andar. Três deles foram presos.Os assaltantes invadiram o prédio às 7h15. Eles aproveitaram que o faxineiro José Luiz Alves colocava o lixo do lado de fora para invadir o edifício antigo, de quatro andares, na Rua Monte Alegre. O contrabaixista Gonçalves, que acabava de deixar a mulher no trabalho, foi o primeiro a ser dominado. Eles entraram no apartamento do músico, pediram dinheiro e o celular. "Tentei convencê-los de que o assalto não daria certo, aqui só tinha pessoas de idade, poucos apartamentos", disse o músico.A professora Genoveva, que é síndica do prédio e mora em frente a Gonçalves, foi surpreendida pelos assaltantes quando saía para o trabalho. Eles disseram para a professora que pretendiam assaltá-la no dia anterior. "Eles sabiam a minha profissão. Achavam que eu era bióloga. Disseram que só não me assaltaram ontem porque queriam pegar todo mundo junto", contou. A professora ficou assustada ao saber que estava sendo vigiada. "Eu rezo todos os dias quando saio de casa, porque a gente não sabe se volta com vida. Mas hoje a gente não está segura nem em casa".Avisada por vizinhos, a polícia chegou enquanto os assaltantes vasculhavam o apartamento da professora. Eles então retiraram os lençóis da cama de Genoveva e improvisaram uma corda. Um deles desceu um andar e foi preso escondido no banheiro da área de serviço do apartamento 201. Outro pulou o muro que dava para uma casa, cortou as mãos, cotovelos e joelhos nos cacos de vidro do muro e deixou um rastro de sangue. Foi encontrado no banheiro da residência. O terceiro assaltante chegou à Rua Oriente, onde os criminosos deixaram uma Kombi que seria usada na fuga. O quarto escapou.A Kombi pertencia a Wendel Vieira Menendez, de 24 anos, o assaltante que se cortou na fuga. Quando policiais militares removiam o veículo para a delegacia, foram surpreendidos por um estranho alarme: "Atenção! Este veículo está sendo roubado". Os PMs ironizaram a preocupação do assaltante com a violência na cidade. Os outros presos foram Leandro Queiroz da Silva, de 22 anos, e Wagner Roberto Lúcio da Silva, de 23.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.