Assalto a banco com reféns em MT termina com bandido morto

Assaltante fez clientes e funcionários reféns por quase 14 horas; duas pessoas ficaram feridas, mas passam bem

Ricardo Valota, do estadão.com.br,

07 de maio de 2008 | 04h58

Um bandido que manteve três pessoas reféns por quase 14 horas em uma agência do Banco do Brasil na cidade de Campo Verde (MT), a 138 quilômetros de Cuiabá, acabou morrendo em um confronto com a Polícia Militar na noite de terça-feira, 6. Armado com revólveres e usando capacete, o assaltante, que não portava documentos e ainda não identificado, invadiu o local por volta das 7h30 de terça-feira, rendendo vigia e funcionários. Já no início do assalto, o ladrão efetuou disparos para o chão, e um dos tiros atingiu a perna de uma cliente de raspão. Leontina Aparecida Cardoso, de 50 anos, que não chegou a ser feita refém, foi medicada e depois liberada. A Polícia foi acionada e deu início a uma longa e tensa negociação, que se estenderia até a noite. Inicialmente, quatro pessoas ficaram em poder do bandido, mas, no começo da tarde, uma faxineira foi liberada. Ela contou à polícia que o homem carregava dois artefatos envoltos em sacolas plásticas pretas e que ameaçava matar os reféns. As negociações eram conduzidas pelo comitê de gerenciamento de crise do governo do Estado, enquanto 60 policiais militares e civis cercavam o prédio. O ladrão, que segundo a polícia não deve morar em Campo Verde, pois ninguém nunca o viu na cidade, exigia um carro para a fuga e 50 mil reais em dinheiro, além da garantia de que não seria perseguido. Pouco antes das nove horas da noite, ele libertou um dos reféns após receber 20 mil reais em dinheiro. Quando o refém deixava o prédio, o ladrão surpreendeu a Polícia ao tentar escapar, abraçado às outras vítimas. Ao ser abordado pelo Capitão Januário, do Batalhão de Operações Especiais, ele empurrou os reféns e atirou, atingindo o braço do policial militar, antes de correr. Outro policial disparou, atingindo a cabeça do criminoso, que morreu. Além dos revólveres, ele portava explosivos. O capitão foi medicado e passa bem; os reféns saíram ilesos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.