Assalto acaba em tiroteio em SP

Após tentar roubar padaria, bando entrou em conflito com PM em ruas de Sumaré e Perdizes

Camilla Haddad, O Estadao de S.Paulo

10 de dezembro de 2008 | 00h00

Moradores dos bairros de Perdizes e Sumaré, na zona oeste de São Paulo, foram acordados ontem por um intenso tiroteio entre a Polícia Militar e assaltantes. Às 5 horas, três homens roubaram a padaria La Plaza, na Avenida Sumaré. Na fuga, eles trocaram tiros com PMs e espalharam pânico pelas Ruas Monte Alegre e Tefé até chegarem à Avenida Doutor Arnaldo, onde dois homens foram presos. Um terceiro integrante do bando fugiu.Segundo a polícia, antes de invadir a padaria, os ladrões roubaram uma Kombi na região para carregar o veículo com cigarros e bebidas vendidas no estabelecimento. Um padeiro e outros quatro atendentes que haviam chegado para trabalhar de madrugada ficaram na mira de pistolas por quase 15 minutos, mas não foram feridos. As vítimas foram mantidas atrás do balcão.Policiais passavam pela Avenida Sumaré, perto da Praça Irmãos Karman, quando desconfiaram da Kombi com três homens e resolveram persegui-la. No trajeto, na Rua Monte Alegre, um dos suspeitos, que dirigia, segundo a polícia, colocou o corpo para fora da janela e atirou contra a viatura. A perseguição continuou pela Rua Tefé, onde há apenas casas. Ali, um dos ladrões desceu da Kombi e tentou roubar um carro Ipanema de um policial à paisana. Como foi baleado de raspão pelo policial, ele voltou ao veículo e seguiu até a Avenida Doutor Arnaldo, onde bateu em uma árvore e fugiu, deixando dois comparsas. Marcas de sangue ficaram na calçada.A mercadoria roubada foi recuperada e até a noite de ontem era contabilizada por investigadores do 23º Distrito Policial (Perdizes). Os nomes dos criminosos presos não foram divulgados. Os acusados vão responder por roubo. SUSTOA dona de casa Lourdes Soares, de 57 anos, que preferiu não divulgar a rua onde mora, contou que dormia e acordou assustada com o tiroteio. No mesmo instante, ela pensou que uma das casas vizinhas pudesse ter sido alvo de uma quadrilha. "O bairro Sumaré é muito tranqüilo, pois só tem casas e todos se conhecem, quase não tem barulho. Eu achei estranho tanta movimentação." Ela disse que diversos amigos do bairro ligaram para o 190 da PM para saber o que havia acontecido na região. Outra dona de casa, moradora da Rua Tefé, que pediu para não ter o nome divulgado, pensou que um vizinho havia sido abordado ao entrar na garagem de casa. "Eu acordei, acendi a luz e quando abri a janela e vi um monte de policiais na rua percebi que era um assalto." Procurado pela reportagem, o dono da padaria La Plaza não quis dar entrevista.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.